Subordinada ao tema "Embarca neste Desafio. Aventura-te num amor saudável", arrancou nos Açores mais uma campanha contra a violência no namoro, chegando este ano, pela primeira vez, a todas as ilhas do arquipélago. Destinada à população mais jovem e com um desenvolvimento que se irá prolongar durante todo o ano, a iniciativa resulta da parceria entre as Redes de Apoio Integrado à Mulher e os polos locais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, desenvolvendo-se assim através de iniciativas nas escolas e em todos os locais frequentados por públicos destas idades.

Em 2011 os Açores foram a primeira região do país a abordar este tipo de questões, numa campanha desenvolvida através do Núcleo de Iniciativas de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, numa altura em que o fenómeno era emergente no arquipélago. Com a mensagem "Não à violência no namoro", a organização tentou chegar ao maior número de jovens açorianos através de cartazes, autocolantes e postais que foram sendo afixados em locais públicos.

A nível nacional este problema ganha outras proporções ao atingir um em cada quatro jovens. Com o intuito de passar uma mensagem forte, a campanha nacional, conhecida pelo mote "Quem te ama não te agride!", utiliza a imagem de figuras públicas, como a apresentadora Sílvia Alberto, o futebolista William Carvalho e o surfista Vasco Ribeiro, para conseguir atingir a sua missão.

Foi ainda apresentada durante este ano a acção de voluntariado jovem "Namorar com Fair Play", como forma de prevenção da violência no namoro, numa iniciativa que se irá desenvolver em cinco regiões do país: Norte, Centro, Alentejo, Lisboa e Algarve.

A violência no namoro não é necessariamente física, pode ainda servir-se de outras formas como a violência sexual, verbal, psicológica e social, sendo que nenhuma destas formas é sinónimo de amor ou paixão. O número de queixas de violência no namoro, recebidas em 2014, aumentou face a igual período do ano de 2013, sendo também importante recordar as quatro mulheres por mês que morreram em 2014 em Portugal, vítimas de violência doméstica.