Vasco Cordeiro, presidente do Governo Regional dos Açores, eleito pelo PS, anunciou que vai apresentar uma proposta ao parlamento açoriano para reduzir os impostos. A medida prevê beneficiar cerca de 90 por cento das famílias nas 9 ilhas do arquipélago. A ação resulta do aproveitamento do Orçamento de Estado de 2015 que permite a redução dos impostos nacionais até 30 por cento nas ilhas.

Na proposta está previsto que se cobre menos 30 por cento de IRS do que no Continente no primeiro escalão (rendimentos anuais até 7.000 euros), menos 25 por cento no segundo escalão (rendimentos entre 7.000 e 20.000 euros) e menos 20 por cento nos restantes escalões. Em relação ao que acontecia em 2013, houve um aumento da redução no segundo escalão.
Quanto ao IVA, em relação às taxas reduzida e intermédia, há uma redução de 30 por cento para os açorianos, enquanto na taxa normal a redução ficará nos 20 por cento. 

Os socialistas terão tarefa fácil para aprovar a sua proposta. Para além de terem a maioria absoluta na Assembleia Regional dos Açores, com 31 dos 57 assentos parlamentares, o PS conta com o apoio dos três deputados do CDS-PP, a terceira força política açoriana. Dos restantes 23 deputados, 20 são do PSD, o segundo maior grupo parlamentar no arquipélago, e os restantes três estão divididos pelo BE, PCP e PPM.

O entendimento com o CDS-PP surge depois do Governo Regional ter tentado um consenso com os diferentes grupos parlamentares. O tema dos impostos tem sido tema quente no parlamento dos Açores. Em novembro do ano passado, o PS acusou o PSD/Açores de falta de inação junto do Governo de Passos Coelho para repor as transferências do Estado para os Açores e Madeira, suspensos em 2013. De acordo com o Governo Regional, em 2014 os açorianos "ficaram privados de cerca 67 milhões de euros que corresponderam à redução do montante destas transferências nacionais".

As próximas eleições legislativas nos Açores estão previstas para outubro de 2016, sensivelmente um ano depois das eleições legislativas nacionais.