O homem de 70 anos subiu a montanha juntamente com um grupo e com um guia. Após a escalada o grupo regressava da aventura, quando os bombeiros da Madalena receberam o alerta de que havia um senhor com 70 anos que tinha entrado em paragem cardiorrespiratória, junto à Casa da Montanha. Segundo o jornal Açoriano Oriental, é neste ponto que são efetuados os controlos e os registos de quem sobe os 2.351 metros de altitude da montanha do Pico.

Os bombeiros acorreram ao local e levaram o homem para o Centro de Saúde onde foi declarado o óbito. Até ao momento, não foram adiantadas informações sobre a nacionalidade da vítima, nem sobre o grupo de alpinistas que, esta sexta-feira, subiram ao ponto mais alto da ilha açoriana. Não se sabe se o homem já teria historial de problemas cardíacos. A principal atração desta ilha do arquipélago dos Açores deve-se à montanha e a todas atividades a ela ligadas. Todos os dias há grupos de alpinistas e as autoridades já estão de sobreaviso para eventuais incidentes.

No ano passado, os números relativos ao #Turismo nos Açores revelam que, em termos de dormidas, 2014 foi o melhor ano de sempre e as atividades ligadas ao desporto de montanha vão continuar a ser uma das atrações. Contudo, os incidentes estão sempre à espreita e, recentemente, foram encontrados no ponto mais alto do México, dois corpos congelados. Este tipo de desporto, como alertam os mais experientes, deve ser praticado com recurso a guias especializados e, antes, deve sempre recorrer-se aos exames médicos de rotina para determinar a aptidão física para a prática do desporto de aventura.

O vulcão da ilha do Pico é o terceiro maior do Oceano Atlântico e, segundo os especialistas, é considerado recente, apesar de ter "nascido" há 750 mil anos. De acordo com os vulcanologistas, a última erupção terá sido em 1718. A ilha continua a ser alvo de estudo e recentemente um grupo da Universidade dos Açores realizou várias intervenções a fim de determinar uma espécie de inventário das atividades vulcânicas existentes.