Depois de vários dias de investigação foi ontem detido, dia 28 de Maio, um veleiro de origem norte-americana no arquipélago dos Açores com mais de uma tonelada de cocaína a bordo. Desta apreensão, a maior de todas em portos açorianos, foram também detidos cinco homens com idades entre os 29 e os 54. Quatro sérvios e um alemão que serão hoje presentes a tribunal para interrogatório e aplicação das medidas de coacção.

Na ilha do Faial, a marina da Horta é uma das mais importantes e mais visitadas a nível mundial, sendo que por ano aportam ali centenas de veleiros. A sua localização é também uma mais-valia para aqueles que pretendem um abrigo contra os ventos ou, em casos de escalas técnicas servem para reparar avarias ou reabastecer. Porém, os Açores podem também ser uma porta de entrada para a Europa, como neste caso concreto, em que era este o intuito dos indivíduos agora detidos, que traziam a droga de forma dissimulada no dorso da embarcação, depois de terem partido das Caraíbas.

Esta não é já a primeira vez que se realizam grandes apreensões de droga nos Açores e mais especificamente na cidade da Horta. Recorde-se que já em 2006 as autoridades portuguesas interceptaram um veleiro alemão, que havia partido dos Barbados e que estava demasiadamente próximo da costa açoriana. Também em 2009 outro veleiro que atracou na marina da Horta, proveniente de Puerto de La Cruz, na Venezuela, trazia meia tonelada de cocaína escondida de tal forma que num primeiro momento foi impossível de ser detectada pelas equipas cinotécnicas.

Porém nem tudo são más notícias. Um veleiro que foi apreendido há mais de dez anos ao largo da ilha das Flores foi entretanto recuperado e hoje em dia serve como navio-escola aos escuteiros marítimos de S. José, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel. Rebaptizado de Almirante Warington Baden-Powell, esta embarcação serve agora aos jovens para que possam participar em actividades e resultou de uma parceira entre o Corpo Nacional de Escutas e a Polícia Judiciária. #Crime