A criança de 6 anos de idade que foi resgatada durante a manhã de hoje, quinta-feira 7 de Maio, pela Força Aérea e Marinha Portuguesa a Sul dos Açores, não resistiu e acabou por morrer. A menina foi resgatada juntamente com o pai, na sequência do #Naufrágio do veleiro francês onde viajavam. Os dois tripulantes saltaram para o mar onde estiveram desde cerca das duas horas da madrugada. A mãe e uma outra criança de 9 anos de idade conseguiram saltar para um bote salva-vidas, tendo sido resgatados pelo navio mercante Yuan Fu Star, de Hong Kong.

O naufrágio do veleiro francês "Reves D'o" ocorreu cerca das 2 horas da madrugada desta quinta-feira, depois de ter emitido um pedido de socorro a cerca de 500 milhas náuticas (900 quilómetros) a Sul do arquipélago dos Açores. Enquanto a mãe e a criança mais velha permaneceram numa balsa salva-vidas e foram resgatados pelo navio mercante chinês, a Marinha Portuguesa, em articulação com a Força Aérea Portuguesa (FAP), iniciou operações de busca e salvamento na tentativa de encontrar o pai e a criança mais nova.

Foram localizados após 2 horas, em pleno Oceano Atlântico com coletes vestidos, tendo sido "lançado para junto deles um kit de sobrevivência até à chegada, cerca das 9:30 horas, do navio hospital "Esperanza del Mar", que os recolheu e prestou assistência médica", revela a Marinha Portuguesa. No entanto, a criança "não resistiu aos efeitos provocados pela longa permanência na água", adianta.

De referir que nas últimas horas a Marinha Portuguesa resgatou 14 tripulantes de cinco veleiros que viajavam naquela zona do arquipélago dos Açores, originários da França, Holanda, Noruega, Suécia e EUA. As condições meteorológicas adversas, com algumas ondas a atingirem os dez metros, fizeram com que as embarcações tivessem emitido diversos pedidos de auxílio que foram chegando ao Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada.

Nas missões de salvamento estiveram empenhados vários meios aéreos da Força Aérea Portuguesa e da Guarda-Costeira norte-americana, que conseguiram resgatar todos os tripulantes dos veleiros em perigo, com a excepção para o francês "Reves D'o" que naufragou.