Decorrem, desde a madrugada de quarta-feira, 6 de Maio, operações de salvamento de 14 tripulantes que viajavam ao largo dos Açores em cinco veleiros. A ondulação que atinge os dez metros levou a que os pedidos começassem a chegar ao Centro de Coordenação Marítimo de Ponta Delgada por volta das 02:00 horas. Neste momento todos os tripulantes estão a salvo. As condições meteorológicas adversas que se fazem sentir no meio do Atlântico levaram a que cinco veleiros pedissem ajuda.

De acordo com o comunicado da Marinha, emitido por volta das 00:45 desta quinta-feira, tinham sido salvos até ao momento oito tripulantes, quatro deles pelo helicóptero da Força Aérea Portuguesa e os outros por dois navios mercantes.

Porém, um veleiro de origem francesa não teve a mesma sorte. De acordo com as informações disponíveis, este veleiro, que transportava quatro pessoas, um casal e dois filhos, afundou-se a cerca de 500 milhas náuticas a sul dos Açores, mais especificamente a sudoeste da ilha das Flores, quando um navio com bandeira de Hong Kong se aproximou para ajudar.

No momento, dois dos tripulantes conseguiram ainda saltar para dentro do bote salva-vidas, enquanto os outros dois saltaram para o mar. A operação de salvamento destes dois tripulantes terminou da melhor forma, tendo os mesmos sido resgatados depois de desaparecidos algumas horas no mar. Neste momento todos os tripulantes encontram-se sob avaliação hospitalar.

Também o porta-voz da Marinha Portuguesa, Paulo Vicente fez saber que "a situação foi complicada, no meio do oceano, àquela distância, não há muitos meios que possam efectuar o salvamento. Houve vários navios que colaboraram, entre os quais o navio hospital espanhol Esperança del mar.

A ondulação estava com cerca de 10 metros e ventos de 50 a 80 nós". Participaram nestas cinco missões de salvamento duas aeronaves C - 295M e um helicóptero EH - 101 Merlin da Força Aérea Portuguesa, que foi ainda auxiliada por uma aeronave C - 130J da Guarda-Costeira norte-americana. #Naufrágio