Um homem de 27 anos é suspeito de ter abusado sexualmente do filho da sua companheira, um bebé de apenas 2 anos. A criança deu entrada no hospital em paragem cardiorrespiratória, não tendo sobrevivido. O alerta para os actos de violência foi feito às autoridades pelos profissionais de saúde da unidade hospitalar. O homem viria a ser detido pela #Polícia Judiciária que o entregou ao tribunal para ser ouvido em primeiro interrogatório. O caso aconteceu na pequena vila de Nordeste, da ilha de São Miguel, na Região Autónoma dos Açores.

O caso aconteceu na tarde desta sexta-feira, 18 de Dezembro, quando um bebé de apenas 2 anos deu entrada nos serviços de urgências do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada. A criança encontrava-se em paragem cardiorrespiratória e, apesar de prestadas as manobras de reanimação, não foi possível reverter a situação, tendo sido decretado o óbito. A situação levou os responsáveis por aquela unidade hospitalar a comunicarem o caso ao Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada que iniciou o respectivo processo de investigação.

À noite da mesma sexta-feira, os investigadores daquela polícia criminal detinham o padrasto da vítima, de 27 anos, suspeito de ter praticado os abusos sexuais que provocaram a morte da criança. No dia seguinte, sábado, 19 de Dezembro, o detido foi presente ao juiz de instrução criminal que lhe decretou a medida de coacção mais gravosa, a prisão preventiva.

Auxiliar de educação abusa de 5 meninos

O caso da morte do bebé de 2 anos, vítima de abuso sexual, surgiu depois de a Polícia Judiciária ter anunciado, através de um comunicado à imprensa, emitido na quinta-feira, 17 de Dezembro, a detenção de um outro homem, suspeito de ter praticado “60 crimes de abuso sexual de criança e de coacção sexual agravada”.

De acordo com o comunicado da Polícia Judiciária, o detido é um auxiliar de educação, de 28 anos, que terá abusado sexualmente de 5 meninos com idades entre os 8 e os 12 anos. Os investigadores referem que os actos ilícitos terão sido praticados “regularmente desde há cerca de 5 meses”, num estabelecimento de ensino do concelho de Ponta Delgada, no qual o suspeito trabalhava. O suspeito aproveitava-se da “proximidade e acesso fácil às crianças” para as “aliciar a práticas de natureza sexual a troco de verbas em dinheiro”, lê-se no comunicado da Polícia Judiciária. #Crime