Um homem de 32 anos de idade tinha como alvo mulheres idosas dos concelhos de Aveiro e Ílhavo a quem lhes roubava, através de esticão, artigos em ouro, em especial os brincos. Era violento e, em alguns casos, até chegava a rasgar as orelhas das vítimas. Foi julgado pelo colectivo de juízes do tribunal de Aveiro, que lhe aplicou uma pena de 12 anos de prisão. Na leitura do acórdão a juíza presidente classificou o comportamento do arguido como "absolutamente censurável".

O homem entrou na sala de audiências do Tribunal de Aveiro acusado da prática de 11 crimes de roubo, mas acabou condenado por 9, acrescidos por um outro de furto qualificado e um outro de tráfico de produtos estupefacientes. Em cúmulo jurídico, o indivíduo, que se encontra actualmente em prisão preventiva, viu-lhe a ser aplicada uma pena única de 12 anos de prisão.

O tribunal deu como provado que o homem roubava, de forma agressiva, mulheres já de idade avançada. Aproveitava a debilidade das vítimas e através da força, e com a maior rapidez possível, tirava-lhes os artigos em ouro, designadamente fios e brincos. Os crimes foram praticados em diversos locais dos concelhos de Aveiro e Ílhavo em Julho do ano passado.

Uma actuação "absolutamente censurável", afirmou a juíza presidente no final da leitura do acórdão dirigindo-se ao arguido. "O senhor procurava as suas vítimas de idade avançada, sem possibilidades de resistência, arrancava os brincos e rasgava as orelhas das pessoas", disse a magistrada reconhecendo que alguns dos crimes ficaram por apurar. De entre as várias vítimas encontra-se a mãe do presidente da Câmara Municipal de Aveiro. A mulher foi atacada na sua própria habitação, em Ílhavo, e o larápio roubou-lhe um par de brincos em ouro num valor superior a 500 euros.

O mesmo Tribunal de Aveiro condenou, também, um segundo arguido a uma pena única de 4 anos de prisão, suspensa na sua execução por igual período. Em causa está a prática de um #Crime de roubo e outro de receptação. O colectivo de juízes aplicou ainda a um terceiro arguido a pena de prisão de 1 ano e 9 meses, igualmente suspensa, pela prática de um crime de receptação de produto roubado. #Justiça