O fogo deflagrou ao início da tarde desta segunda-feira, 7 de Setembro, no concelho de Arouca. Estendeu-se por cerca de 8 km, lavrando nas freguesias de Canelas e Espiunca. Os bombeiros tentaram proteger ao máximo os passadiços de madeira existentes sobre o rio Paiva, no entanto estes já foram atingidos. Cerca das 17h00 este #Incêndio estava a ser combatido nas 4 frentes activas por 243 #Bombeiros de diferentes corporações, 65 veículos e 7 meios aéreos.

Devido à densa área florestal está a ser uma luta complicada para os bombeiros. O comando do CDOS de Aveiro referiu à Lusa: "Estamos a ter alguma atenção a isso [para impedir o pior]". Neste momento já se sabe que os passadiços estão em chamas". Por volta das 18:30 o fogo continuava activo com várias frentes e em "situação desfavorável".

Os Passadiços do Paiva são uma atracção turística em Arouca, um verdadeiro sucesso. Foram inaugurados em Junho de 2015, levando este verão cerca de 7 mil pessoas diariamente a fazer este percurso de 8 km (apenas de ida). Muitos turistas exploradores das margens do Paiva dizem que se trata de uma dura caminhada em terra batida e estruturas de madeira, mas consideram  que é uma experiência a repetir.  O sucesso deste percurso já tinha levado a autarquia a ponderar cobrar bilhetes para salvaguardar ao máximo aquela zona e a estrutura. 

Os planos do aumento deste circuito foram noticiados na "Fugas" do Jornal Público no último dia de Agosto. A autarquia de Arouca já tinha em preparação a candidatura ao financiamento para essas obras. Seriam mais 12 km de percurso até 2017, passando por mais dois cursos de água: rio Frades e rio  Paivô. As mudanças incluíriam ainda um bar suspenso, dois núcleos museológicos, um dedicado à exploração de volfrâmio em Frades e o outro para dar a conhecer o gado arouquês. No total seria um investimento de cerca de quatro milhões de euros. A primeira fase dos passadiços ficou 15% abaixo das despesas previstas inicialmente.

Não se sabe ainda a dimensão dos danos e prejuízos deste incêndio no percurso dos passadiços do Paiva. José Artur Neves, presidente da Câmara de Arouca, confirmou ao "Público" que na altura do início do fogo existiam visitantes a percorrer o circuito, mas rapidamente conseguiram fazer com que saíssem, não existindo feridos. #Turismo