Dois homens foram assassinados a tiro na madrugada desta sexta-feira, 4 de Dezembro, na pequena localidade de Assilhó, no concelho de Albergaria-a-Velha. As duas vítimas, com idades entre os 30 e os 35 anos, terão protagonizado uma discussão quando chegou um terceiro homem que atirou sobre elas. Um dos homens terá tido morte imediata enquanto o outro ainda fugiu para um café próximo a pedir auxílio, mas não resistiu aos ferimentos. O suspeito dos disparos colocou-se em fuga, vindo a ser detido ao final da tarde num café a cerca de 20 quilómetros do local do #Crime.

Poucos minutos passavam da meia-noite desta sexta-feira, 4 de Dezembro, quando o barulho de tiros despertou os moradores da pequena aldeia de Assilhó, no concelho de Albergaria-a-Velha no distrito de Aveiro. Motivados, alegadamente, por actividades ilícitas relacionadas com roubo e tráfico de droga, dois homens com idades entre os 30 e os 35 anos, de etnia cigana, terão entrado em conflito. Durante a discussão, um terceiro indivíduo, também com a mesma idade, terá surgido e, munido de uma arma, disparou sobre eles.

Um dos atingidos terá tido morte imediata, enquanto o outro ainda conseguiu fugir, pedindo por socorro num café localizado nas proximidades. Contudo, não resistiu aos ferimentos causados pelos disparos, vindo a tombar no chão. Quando os bombeiros chegaram ao local depararam-se com os dois homens já cadáveres.

O alegado autor dos disparos ainda entrou no mesmo café tendo forçado, sobre ameaça, as sete pessoas que se encontravam no interior do estabelecimento a deitarem-se no chão e a atirarem os telemóveis para longe. Porém, acabaria por se pôr em fuga numa bicicleta. Segundo relata o Correio da Manhã, trata-se de um homem com um extenso cadastro criminal, por roubo e furto, violência doméstica e agressões.

Embora as autoridades tenham montado uma operação de caça ao homem, o suspeito conseguiu estar fugido durante toda a noite e dia. Eram 17:30 horas quando foi localizado no interior de um café da freguesia de Santa Joana, em Aveiro. Estava armado mas não resistiu à detenção efectuada pelos agentes da Polícia de Segurança Pública. Foi posteriormente entregue à Polícia Judiciária, autoridade que está a investigar as causas daquele duplo homicídio.