A manhã desta segunda-feira, 19 de Setembro, foi trágica na estação ferroviária de Oiã, no concelho de Oliveira do Bairro. Um jovem de 22 anos morreu quando atravessava a Linha do Norte, tendo sido colhido pelo comboio Alfa Pendular que viajava entre Lisboa – Porto, sem paragem. O alerta foi dado poucos minutos depois das 8 horas, e provocou um atraso de cerca de meia hora naquela principal linha ferroviária do país.

Tudo aconteceu na estação ferroviária de Oiã, no concelho de Oliveira do Bairro, no distrito de Aveiro. Segundo informações relatadas aos jornalistas por algumas pessoas que estavam na estação, o jovem estava a atravessar a principal linha ferroviária do país, com uma bicicleta pela mão, presumivelmente para ir embarcar num comboio. Como estaria atrasado terá optado por atravessar pela linha, não o fazendo pela passagem inferior existente na estação. No entanto, não se terá apercebido do anúncio da passagem do comboio Alfa Pendular, que seguia no sentido Lisboa – Porto, sem paragem naquela estação. Já, segundo o comandante dos Bombeiros de Oliveira do Bairro, Marco Maia, confirma que o jovem tinha uma bicicleta, mas desconhece se foi colhido quando atravessava a linha ou caminhava paralelamente à mesma.

O rapaz acabou por ser colhido pela composição ferroviária, que habitualmente circula no local a uma velocidade que ronda os 220 quilómetros por hora. O alerta chegou ao Comando Distrital das Operações de Socorro (CDOS) da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) às 8:10 horas, tendo sido enviado para o local os Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro, auxiliados pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), cujo médico se limitou a certificar o óbito.

As circunstâncias do trágico acidente estão a ser investigadas pelas autoridades, tendo a ocorrência sido registada pela Guarda Nacional Republicana. Entretanto, a CP – Comboios de Portugal informou que houve um atraso de cerca de meia hora na circulação daquela principal linha ferroviária do país, o que provocou, também, uma paragem de cerca de uma hora do Alfa Pendular, para que fosse possível a remoção do cadáver e os trabalhos de limpeza da via. #Óbito #Acidente Ferroviário