Uma menina de 6 anos ficou em estado considerado grave depois de ter sido alvejada pelo irmão de 11 anos. O acidente ocorreu nesta quarta-feira, 12 de Abril, na residência da família, em Oliveira de Azeméis, distrito de Aveiro. O pai das crianças acabou por ser notificado pela Guarda Nacional Republicana para comparecer a um juiz de instrução criminal e saiu do tribunal constituído arguido. José Carlos, apicultor e caçador amador, poderá estar fortemente indiciado pela prática dos crimes de posso ilegal de arma e exposição ou abandono.

Segundo fonte da GNR, o pai das crianças ficou sujeito a Termo de Identidade e Residência, medida de coacção mais leve, enquanto o processo continua em inquérito, para que a investigação prossiga com as diligências e reúna mais meios de prova.

Publicidade
Publicidade

José Carlos terá afirmado ao procurador do Ministério Público que a arma, uma espingarda pressão de ar modificada para calibre de 9 milímetros, terá sido deixada na habitação por uma pessoa conhecida.

Tudo aconteceu pouco depois das 20h30 da passada quarta-feira (12 de Abril) na freguesia de S. Roque, concelho de Azeméis. As crianças estariam a brincar no interior da residência, quando Leonardo, de 11 anos, terá pegado na espingarda. A arma acabou por disparar acidentalmente, atingindo Ana Beatriz, de 6 anos de idade, na zona do abdómen. A menina foi socorrida pelos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis e, transportada por elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM), acompanhada pela mãe Cláudia, em estado considerado grave para o Hospital S. João, no Porto, onde foi submetida a uma cirurgia de emergência.

Publicidade

Segundo fonte da GNR, citada pelo Jornal de Notícias, esta quinta-feira, dia 14, Ana Beatriz permanecia na mesma unidade hospitalar em estado estável sem correr risco de vida.

Ainda na noite de quarta-feira, o pai das crianças foi interrogado pelos militares da Guarda Nacional Republicana que tomaram conta da trágica ocorrência. Uma situação que deixou o pequeno Leonardo em estado de choque, tendo ficado na companhia de familiares que compareceram, logo que souberam do incidente, na residência da família. A tragédia deixou a população de S. Roque em estado de consternação, tendo alguns populares se juntado frente à residência para tentar saber o que se terá passado e qual o estado de saúde da Ana Beatriz. Por outro lado, lamentaram o facto de a arma estar, carregada de munições, ao alcance das crianças. #Justiça #Crime