Dois irmãos, uma menina de 14 anos, e um menino de 11 anos, morreram na tarde deste domingo, 11 de Junho, vítimas de #Afogamento no rio Vouga, no concelho de Águeda. A vítima mais velha ainda foi resgatada do rio e socorrida, mas viria a falecer no hospital para onde foi transportada. Mais tarde, os socorristas localizaram e retiraram o corpo do menino, já sem vida. A mãe das crianças, e outros familiares, oriundos do concelho de Santa Maria da Feira, tiveram de receber acompanhamento hospitalar devido ao estado de choque em que ficaram.

Aquele que era para ser um domingo passado em família, à beira rio, acabou em tragédia por cerca das 14h30, hora a que foi dado o alerta para o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

Publicidade
Publicidade

Tudo aconteceu em Macinhata do Vouga, no concelho de Águeda, junto à ponte de Sernada, no rio Vouga. Uma testemunha relatou à CMTV que o casal chegou ao local acompanhado das crianças que, entretanto, entraram na água. Pouco tempo depois, apesar de pensarem que os jovens estariam a brincar dentro do rio, de imediato se aperceberam que estariam, isso sim, a pedir por auxílio. Alguns dos populares ainda foram ao seu socorro, mas não conseguiram retira-los do leito do rio, devido à forte corrente da água.

Por outro lado, a mesma testemunha refere que os socorristas demoraram a chegar ao local - habitualmente frequentado no Verão por famílias, crianças e jovens - que só surgiram já depois da presença das autoridades policiais. As operações de socorro decorreram perante os familiares dos dois menores, que viveram momentos de pânico e de aflição, tendo entrado em estado de choque.

Publicidade

Segundo o Comando Distrital das Operações de Socorro de Aveiro, da Autoridade Nacional de Protecção Civil, a menina foi resgatada das águas do rio Vouga inconsciente, mas com sinais de vida, tendo sido transportada para o Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro. Apesar das manobras de reanimação, a menina não resistiu e acabou por morrer. Por volta das 18 horas, os socorristas viriam a retirar da água o corpo do menino, já cadáver.

Segundo fonte dos #Bombeiros Voluntários de Águeda, citada pela agência Lusa, o local onde aconteceu o trágico afogamento não está classificado como praia fluvial, embora seja uma zona usada como tal, durante os dias quentes de Verão. À hora em que os dois menores entraram no rio, havia muita corrente devido à proximidade de uma “espécie de represa”. Em algumas zonas do leito, a profundidade pode atingir os cinco metros, pelo que é perigoso. De acordo com informações fornecidas pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro, nas operações de busca e salvamento participaram mais de duas dezenas de operacionais das corporações dos Bombeiros Voluntários de Águeda, auxiliados pelos seus congéneres de Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga e Bombeiros novos de Aveiro.

Publicidade

Assim como socorristas do Instituto Nacional de Emergência Médica que accionou para o local a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) afecta ao Centro Hospitalar do Baixo-Vouga.