Um homem de 53 anos foi alvejado na noite de quinta-feira junto à Universidade do Minho. O crime aconteceu à porta do bar do Grupo Desportivo dos Peões, que se localiza paredes meias com o Campus de Gualtar da Universidade do Minho. O autor do disparo seria um homem com idade compreendida entre os 50 e 60 anos, que já foi detido pelas autoridades. A PSP de Braga encontra-se a investigar o caso.

Segundo os moradores da zona, a vítima e o agressor conheciam-se e frequentavam habitualmente aquele café. Segundo o dono do café, os desentendimentos não terão começado dentro do estabelecimento, mas sim já na parte de fora, quando os dois homens terão saído para fumar. Foi nessa altura, cerca de 23h50, que os dois homens se terão desentendido e, durante a troca de palavras, um deles terá usado a arma de fogo que trazia consigo para alvejar de forma mortal a vítima.

A vítima terá sido atingida com dois tiros, um na cabeça e outro no pescoço. Quando os Bombeiros Sapadores de Braga chegaram ao local, a vítima já se encontrava sem vida, tendo estes procedido à remoção do cadáver depois da meia-noite. O agressor acabou por se pôr em fuga, para um prédio onde faz segurança, mas foi detido pela Polícia Judiciária durante a madrugada e será presente a tribunal para aplicação da medida de coacção. Segundo algumas testemunhas, pode tratar-se de um crime passional. O responsável pelo café acredita que o incidente resultou de zangas antigas entre estas duas pessoas que se conheciam bem.

A vítima mortal é natural da freguesia de Vila do Prado, em Vila Verde e tinha um negócio de farturas em Braga, que actualmente se encontrava instalado junto à Igreja de São Vicente. O autor dos disparos é natural de Amares e faz segurança num prédio em Braga junto ao Bragaparque.

O incidente aconteceu na Praceta do Vilar, uma zona de bares frequentada por alunos da Universidade do Minho, mas que alberga também uma zona residencial, cujos prédios são na sua maioria também ocupados por estudantes universitários.