Segurança privado do concelho de Esposende está em prisão preventiva depois de ter sido "apanhado" em flagrante a extorquir uma quantia avultada de dinheiro a um empresário. O Tribunal Judicial da Comarca de Barcelos aplicou, em sessão perante o juiz na passada tarde de quarta-feira, a medida mais gravosa prevista no código penal. Após ouvir o veredicto, o segurança, de 30 anos de idade, foi conduzido pelas autoridades policiais ao estabelecimento prisional da cidade de Braga.

Ao que foi possível apurar junto de fonte próxima do processo, desde finais do ano transato que o indivíduo de Esposende vinha a praticar o #Crime de extorsão de forma continuada. Na passada terça-feira, dia 21, em pleno parque de estacionamento de uma grande superfície comercial na freguesia de Vila Frescainha de São Pedro, na cidade de Barcelos, voltou a acontecer novo encontro para voltar a exigir dinheiro ao empresário

A vítima levou consigo seis mil euros em dinheiro para mais uma entrega ao segurança, contudo, desta vez tinha as forças militares do Núcleo de Investigação Criminal da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Barcelos à espera. O segurança foi detido em flagrante e não ofereceu resistência, tendo o dinheiro sido recuperado. No entanto, as extorsões ao empresário eram recorrentes e, segundo informações das autoridades, terão atingido valores na ordem dos 25 mil euros.

Ao que tudo indica, o pretexto da extorsão envolvia vídeos e fotografias que o segurança dizia ter, onde eram visíveis várias mulheres agarradas ao empresário. Mulheres que, alegadamente, se acercaram da vítima para pedir emprego e que se agarraram ao empresário em pranto, com abraços e beijos.

O agora arguido realizava telefonemas constantes ao empresário com ameaças de tornar público o material registado. A extorsão era, assim, consumada em troca da não revelação do suposto registo audiovisual e fotográfico. Face aos alegados factos, nomeadamente ao flagrante delito, o juiz optou pela medida de coação de "prisão preventiva", a mais gravosa nesta fase do processo. #Justiça