Assinala-se hoje o primeiro ano após o acidente que vitimou mortalmente três estudante da Universidade do Minho. A comunidade académica não quis deixar passar a data sem homenagear os colegas falecidos a 23 de Abril de 2014. Em memória dos três estudantes de Engenharia Informática que perderam a vida aquando da queda de um muro nas imediações da Universidade, foi organizada uma missa às 18 horas. Durante o dia de hoje os alunos da academia minhota vão deixando uma flor branca à entrada da Universidade.

Faz hoje um ano que três alunos da licenciatura em Engenharia Informática faleceram após a queda de um muro, junto ao campus de Gualtar, em Braga. O acidente acabou por mergulhar a comunidade académica num ambiente de luto, mas sobretudo de união e solidariedade para com a família, amigos e conhecidos das vítimas. Hoje, passado um ano, o ambiente académico voltou ao normal, mas, longe de lutos, não se fizeram esperar as homenagens aos que partiram.

Naquele fim de tarde do dia 23 de Abril de 2014, não foram apenas três estudantes da Universidade do Minho que partiram, nem três alunos da Licenciatura em Engenharia Informática. Foi o João Pedro Vieira, Nuno Ramalho e Vasco Rodrigues, cujos nomes não se apagam da memória dos que ficaram.

As homenagens são, hoje, mais simples e discretas do que foram nos dias que se seguiram ao acidente. Mas permanecem, não deixando ninguém indiferente. Mesmo aqueles que apenas chegaram à Universidade do Minho este ano mostram-se solidários para com os amigos e conhecidos das vítimas. Todos os estudantes foram incentivados a colocar uma flor branca junto à estátua do Prometeu - presente junto à entrada do campus com elevado valor simbólico para a comunidade académica - como forma de recordar e homenagear os colegas.

Em memória dos três estudantes, será também celebrada uma missa, às 18 horas de hoje, na Igreja dos Terceiros, em Braga. A cerimónia terá a participação da Tuna Universitária do Minho e da Gatuna -Tuna Feminina Universitária do Minho. #Educação