O Conselho de Prevenção da Corrupção do Tribunal de Contas promoveu um concurso nacional bastante original, ao propor às escolas do país criarem a melhor 'Imagem contra a Corrupção'. Na categoria do 3º Ciclo, os vencedores do Concurso de Vídeos, anunciados na última semana, foram os alunos de uma turma do 7º ano (turma D), do Colégio Infante D. Henrique, em Braga, com a criação de uma publicidade muito original, a um medicamento que garantem ser 100% eficaz contra a corrupção: o 'Probitas Forte'. O vídeo apresenta várias semelhanças com as comuns publicidades (as chamadas tele-vendas) que vemos diariamente, nos canais abertos da televisão portuguesa. E qualquer comparação com outros medicamentos de venda telefónica não será, certamente, pura coincidência.  

Na publicidade ao medicamento revolucionador contra a corrupção, o 'Probitas Forte', o vídeo começa com alguns alunos a exemplificarem os malefícios da corrupção para a saúde.

Sintomas de Corrupção:

Dores de cabeça (por fugir aos Impostos);

Indisposição e Azia (quando não obtém favores ou prejudica os outros);

Dores nas articulações (por subir demasiado depressa na vida, por enriquecimento injustificado);

Dores nas costas (pelo peso da culpa).

Tratamento e Processo de Cura:

Para quem sofre de algum dos sintomas citados acima, estes estudantes de Braga, apresentam o resultado do trabalho dos cientistas e do Laboratório do Colégio, ao descobrirem a fórmula química composta por: Honradez; Justiça; Verdade; e Honestidade. O 'Probitas Forte' tem como principal princípio activo a "consciência retamente formada" e está disponível para compra mediante uma chamada telefónica, para o número indicado na publicidade. Os primeiros a ligarem, naturalmente, receberão não uma mas duas caixas de 'Probitas Forte' pelo mesmo preço. A publicidade termina com os testemunhos 'reais' de  quem já fez esta medicação e não voltou a padecer do mal da corrupção.  

O vídeo muito bem elaborado, mas, acima de tudo, muito original e criativo, mereceu esta distinção a nível nacional, pelo Tribunal de Contas, em Lisboa. Filipe Pereira é o professor e coordenador do projecto 'Probitas Forte' e, em declarações à Porto Canal, explicou a origem do nome do 'medicamento' e a importância deste trabalho para os estudantes: "No latim, significa probidade, um valor muito importante, que significa o cumprimento escrupuloso e rigoroso da moral social e pessoal, em função dos deveres e da justiça. Tudo isto são questões muito importantes no processo de crescimento dos alunos". #Educação