Bombeiro Voluntário de Vila Verde detido pela Guarda Nacional Republicana de Vila Verde, depois de ter disparado um tiro de zagalote dentro de casa, levando à fuga da mulher em caso de violência doméstica. A situação ocorreu esta madrugada de sexta-feira, dia 22 de Maio, mesmo no centro de Vila Verde. As autoridades apreenderam ainda três caçadeiras e uma pistola ao bombeiro.

Pouco passava das duas da manhã quando a mulher do bombeiro, um homem de 38 anos, deu alerta para as autoridades. "Se ela não tivesse saído de casa, ele teria disparado sobre a mulher e posto fim à própria vida", conta uma familiar, também vizinha do prédio onde tudo aconteceu, que foi em socorro da esposa do bombeiro.

O Pelotão de Intervenção Rápida (PIR) da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Braga e militares da GNR de Vila Verde foram chamados a intervir. Pois o homem estava "barricado" no interior do apartamento, fortemente armado e visivelmente alterado. Ao que foi possível apurar, o homem jantou com a esposa e uma prima, mas tudo terá corrido bem. Sem que o ninguém fizesse prever, o estado psicológico terá sofrido uma alteração, levando-o a ameaçar a mulher de morte. O PIR e a GNR, juntamente com os #Bombeiros, convenceram o homem a entregar-se às autoridades.

O tiro chegou mesmo acontecer, mas este acertou no espelho de uma sala do apartamento, um prédio num pequeno aglomerado urbano situado junto às Finanças de Vila Verde, na Avenida António Sérgio. Para o local deslocou-se ainda uma ambulância da própria corporação do agressor com dois bombeiros voluntários. Este acabou por se entregar às autoridades. Os militares do PIR apreenderam ainda as armas, sobre as quais um familiar diz "estarem legais" devido à caça.

Ao que foi possível apurar, o agressor terá feito uma desintoxicação e "andava bem". No entanto um episódio recente, e passado no interior do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde, levou-o a apresentar queixa no posto do comando territorial da guarda de Vila Verde, depois de ter sido alegadamente vítima de agressão, pela qual recebeu tratamento hospitalar. #Crime #Polícia