Situada na margem esquerda do Rio Cávado, junto à Ponte Medieval de Barcelos, a Casa da Azenha é um imóvel do Século XIX, agora transformada em museu, com explicação dos aparelhos de moagem e a ilustração do ciclo do pão em imagens e palavras. No piso superior deste imóvel funciona um "Help Point" de apoio aos peregrinos de Santiago, que ao penetrarem nos espaços do edifício e das suas dependências anexas usufruem de uma bela vista sobre o Rio Cávado e a Vila de Barcelinhos.

Inaugurada com o evento de apresentação das Festas das Cruzes 2015, este imóvel, servil ao #Turismo de Barcelos e à promoção turística do Caminho de Santiago, conta já com perto de 1000 utilizadores, sendo que a grande maioria são peregrinos do Caminho.

O primeiro piso contém uma exposição temporária ligada ao caminho de Santiago, com serigrafia do artista Galego Alex Vásquez. Para além desta vertente lúdica de apoio ao caminho de Compostela, é intenção do Município Barcelense integrar este imóvel no programa de aprendizagem das tradições nas escolas e fomentar, assim, visitas dos alunos das escolas ao referido museu. Cumpre-se assim a função original do edifício: função pedagógica de ensino da arte da moagem dos cereais e a sua transformação em pão.

O Núcleo museológico estará funcional em breve com a introdução da roda exterior, que está ainda a ser ultimada conforme referiu o Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, na cerimónia da Inauguração do edifício: "A roda está a ser tratada e já foi encomendada. A nossa vontade era ter a roda hoje, mas é um trabalho um pouco sofisticado, não é fácil arranjar alguém que produza a roda e lhe dê a função original, mas garantidamente a roda vai voltar ao seu lugar de origem".

A recuperação da Casa da Azenha vem dar um outro aprumo à zona ribeira de Barcelos, fazendo um belo conjunto com outros imóveis de inegável valor, dos quais se destacam a Ponte Medieval, a Igreja de Santa Maria Maior, a Muralha de Barcelos, o Paço dos condes de Barcelos e o Pelourinho da Povoação Medieval.