Muitos ansiavam pelo começo das festividades do Enterro da Gata '15, que se iniciaram neste sábado com DAMA e Anselmo Ralph. As portas do recinto abriram mais tarde, às 23 horas, devido ao jogo Sp. Braga- Marítimo e rapidamente se juntou uma multidão junto à entrada. Com bilhete ou pulseira no pulso, passaram horas na fila à espera para entrar. Para muitas pessoas de nada valeu o bilhete na mão e a vontade de ver DAMA. Após três horas na fila acabaram por entrar no fim do concerto ou desistiram mesmo de ver a banda.

Após o Velório da Gata e as Monumentais Serenatas, o Enterro da Gata começou oficialmente este sábado. As portas abriram às 23h30, mais tarde do que o habitual, devido à realização do jogo Sp. Braga - Marítimo -a contar para a 32ª jornada do campeonato português - no Estádio AXA, nesse mesmo dia. Quando as portas abriram, centenas de pessoas aguardavam para entrar, tendo passado até duas horas na fila.

O palco foi inaugurado pelo GFUM - Grupo Folclórico da Universidade do Minho, numa actuação curta. "A nossa actuação foi curtinha porque as condições logísticas não nos deixaram outra opção, mas ainda assim fizemos a festa", afirma Inês Barbosa, que subiu ao palco para dançar apenas uma #Música. Ainda assim o mais importante foi divertir os presentes: "Gostávamos de ter actuado mais, mas o que importa é que as pessoas se tenham divertido". Depois do GFUM, foi momento de subir ao palco mais uma "equipa da casa", tendo o espectáculo prosseguido com a OPUM DEI - Ordem Profética da Universidade do Minho - que actuou para um recinto completamente cheio. Seguiu-se a actuação de DAMA, durante cerca de uma hora e meia, em que apresentaram o seu reportório bem conhecido do público presente e fizeram também algumas covers.

O nome mais esperado da noite era Anselmo Ralph, que entrou em palco e levou a multidão ao delírio. Actuou durante cerca de duas horas para um recinto completamente lotado. Interpretou várias músicas bem conhecidas do grande público e a animação foi total, mas dançar só com os olhos, porque o espaço - ou a falta dele - não permitia mais.

No fim dos concertos no palco principal, a festa continuou nas tendas e barracas de curso presentes na Alameda do Estádio. O presidente da Associação Académica da Universidade do Minho fez um balanço muito positivo da primeira noite de Enterro da Gata, mostrando-se feliz pelo recinto lotado. Porém, nas redes sociais o descontentamento dos alunos está bem vincado: faltou organização, num evento que foi feito para agradar às massas e não aos estudantes. O tempo de espera na fila marcou de forma negativa o primeiro dia do Enterro da Gata. #Entretenimento