Uma mulher de 25 anos, grávida de um mês, foi esfaqueada e agredida na noite da passada sexta-feira, dia 19 de junho, em Vimieiro, na cidade de Braga, junto à Universidade do Minho. Tudo aconteceu depois de ter marcado um encontro com um homem através da rede social Facebook. A vítima foi enganada e atraída a um descampado, tendo sido surpreendida um grupo de quatro mulheres, familiares do suposto homem com quem se ia encontrar.

Segundo noticia hoje o Correio da Manhã, a vítima, em estado inicial de gravidez, foi alvo de agressões e de golpes com navalhas e tesouras, tendo ainda ficado sem o telemóvel e com o cabelo cortado. Segundo o mesmo jornal, esta situação foi provocada por motivos passionais, uma vez que a vítima trocava mensagens pelo Facebook com o namorado de uma das agressoras, o que motivou a desconfiança de uma possível traição. Essa agressora terá utilizado a conta do namorado para falar com a vítima, marcando um encontro na freguesia de Vimieiro, em Braga, mas não com os propósitos que terá dito à jovem de 25 anos. Como a agressora enviava as mensagens através da conta do namorado, a vítima não desconfiou do plano traçado.

Quando a jovem chegou ao local do encontro, a curta distância da instituição universitária, foi surpreendida por quatro mulheres que saíram da viatura que supostamente seria do homem com quem combinou o encontro. Por entre as agressoras, estaria também a mãe da namorada do indivíduo e outras duas mulheres, que agarraram a vítima procedendo a actos de tortura, ao jeito de interrogatório, confrontando-a com o que terá dito por mensagem. A vítima não terá colaborado com as pretensões das agressoras e acabou golpeada várias vezes nos braços, culminando com o cortar de cabelo, sendo esse um acto alegadamente simbólico, uma vez que a principal agressora terá dito que lhe cortava o cabelo para que não se esquecesse que não deve trocar mensagens pelo Facebook com os namorados das outras.

O caso está agora entregue à Polícia Judiciária de Braga. #Crime