Um jovem de 23 anos de idade foi constituído arguido, e sujeito à medida de coação de Termo de Identidade e Residência, por ter simulado um #Crime de furto. Ao que tudo indica, e segundo fonte do comando territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Braga, o indivíduo apresentou-se no posto territorial das Caldas das Taipas afirmando que havia sido alvo de um crime de furto de um telemóvel, com recurso a armas brancas.

O jovem detalhou a história, indicando mesmo que foi alvo de várias ameaças por parte de dois indivíduos que acabaram por lhe roubar um telemóvel topo de gama. Perante a gravidade dos factos, as autoridades militares das Caldas das Taipas reportaram o caso à Guarda Nacional Republicana da Póvoa de Lanhoso que, através do Núcleo de Investigação Criminal, interrogou o indivíduo na sequência da denúncia apresentada pelo próprio.

No entanto, cedo se percebeu que a história não batia certo. "No decurso das diligências de investigação encetadas, face às incongruências manifestadas pela vítima, concluíram que foi uma simulação de crime de roubo com o alegado propósito de acionar o seguro do telemóvel", referiu fonte do comando territorial da GNR de Braga, acrescentando que esta situação é punível ao abrigo do Código Penal.

Segundo o artigo 366º "Simulação de Crime", "quem, sem o imputar a pessoa determinada, denunciar crime ou fizer criar suspeita da sua prática à autoridade competente, sabendo que ele se não verificou, é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias", lê-se no ponto um do Código Penal.

"Tipo de crime é recorrente, mas estamos atentos"

Segundo as autoridades, este foi o segundo caso detetado num curto espaço de tempo. "Em Amares, no mês de maio, verificou-se uma prática criminosa idêntica, todavia, por alegada extorsão", referiu fonte do comando distrital da GNR de Braga. "Este tipo de comportamentos, denunciando falsos ilícitos, além de constituírem crimes e a consequente responsabilização dos seus autores, consomem recursos humanos e logísticos que interessa salvaguardar para uso adequado", frisou a mesma fonte.