Noite muito violenta em Braga. Aconteceu no passado sábado e os bracarenses ainda abrem a boca de espanto perante o sucedido. Numa cidade sem grandes historiais de #Violência, aconteceu o impensável com um bombeiro a ser brutalmente agredido. De acordo com uma notícia avançada pelo Correio da Manhã, a vítima foi assistida no Hospital, estando com uma perna partida.

O incidente aconteceu nos arredores da Sé de Braga, numa zona de bares. O bombeiro sapador, um homem de 50 anos, saiu com uns amigos, numa altura em que gozava os últimos dias de férias, e passou de testemunha a principal envolvido. Ao assistir a uma rixa entre dois grupos, o bombeiro apressou-se a intervir, numa tentativa de acalmar os ânimos. A atitude, embora bem intencionada, foi em vão e o homem acabou por estar no sítio errado, à hora errada. Os grupos rivais ter-se-ão virado contra o homem e atacaram-no de forma selvática. Como resultado, o bombeiro ficou com muitas nódoas negras e com uma perna partida que lhe promete dificultar a vida nos próximos meses.

Os agressores conseguiram fugir antes da chegada da Polícia de Segurança Pública e permanecem desconhecidos e por identificar. A vítima foi assistida no Hospital local e já terá tido alta médica, de acordo com o Correio da Manhã. Uma testemunha contou ao jornal o sucedido, defendendo que o bombeiro apenas tentou evitar um cenário mais violento entre os grupos rivais, que eram compostos por jovens. "Ele tentou acalmar as coisas e queria separar os rapazes, que lhe começaram a bater", contou a fonte, citada pelo Correio da Manhã.

Braga é conhecida por ser uma cidade muito jovem, mas também calma. Com muitos estudantes universitários, as saídas nocturnas são marcadamente académicas. Neste caso, desconhecem-se os agressores, mas a Blasting News tentou falar com alguns bracarenses à procura de explicações para o sucedido. "Os jovens sempre fizeram asneiras e vão continuar a fazê-las. O que se passou é muito triste, mas Braga continua a ser uma cidade muito segura", contou José Ferreira, um local, interpelado pela Blasting News.