Assaltantes entraram esta madrugada de sexta-feira, dia 7, numa estação de serviço da Cepsa, no concelho de Esposende, para tentar levar uma máquina de tabaco. Ao fim de uma hora, e de várias tentativas, os ladrões desistiram. Com fome, serviram-se de batatas fritas e levaram alguns maços de tabaco para o caminho. A Guarda Nacional Republicana investiga o caso numa bomba que tem vindo a sofrer sucessivos assaltos, um dos quais terminou em morte.

Tudo ficou registado no sistema de video-vigilância da estação de serviço da Cepsa, situada à face da Estrada Nacional (EN) 103, que liga Barcelos a Viana do Castelo, na Vila de Forjães no concelho de Esposende. Os ladrões arrombaram a estação de serviço, que durante a noite encerra às 22:00 horas e abre às sete da manhã. Tudo aponta que, antes de entrar na loja da Cepsa, estes arrancaram o alarme e uma das sete câmaras existentes no recinto da estação de serviço.

Segundo fonte do comando da Guarda Nacional Republicana, os ladrões, e depois de estarem lá dentro, tentaram retirar para o exterior da loja a máquina de tabaco. O processo não foi executado com sucesso, levando-os, então, à fúria ao fim de uma hora de tentativas. Os ladrões partiram tudo, acabando apenas por roubar consumíveis – principalmente batatas fritas – e maços de tabaco depois de estroncar a máquina.

Funcionários da Cepsa só deram com a situação às seis da manhã, quando se preparavam para abrir a estação de serviço. No local estiveram as autoridades, GNR de Esposende e NIC da GNR de Barcelos.

A Blasting News tentou falar com o gerente da Cepsa, mas este não quis prestar declarações. Têm sido vários os assaltos nos últimos meses em Esposende, onde se incluem um banco nas Marinhas e uma ourivesaria em Apúlia.

Este ano o local já havia sido assaltado

Os assaltos à estação de serviço da Cepsa são “normais” e já levaram à morte de um funcionário há mais de dez anos. Já este ano, em fevereiro, 60 segundos foram suficientes para um indivíduo armado ter levado cerca de 300 euros, mas neste caso em pleno dia. Por entre vários assaltos, outro também deixou marcas violentas.

Há precisamente sete anos, a 7 de agosto de 2008, um assalto feriu gravemente um funcionário da Cepsa, quando um gangue de quatro indivíduos, armados com uma pistola e um ferro, utilizaram de toda a violência para roubar a gasolineira. O funcionário ficou mesmo internado no Hospital de Barcelos. #Crime