Mikael tem nove anos, sofre de uma doença que cedo lhe paralisou as pernas e não tinha uma cadeira de rodas decente que lhe proporcionasse mais conforto. Helena Ferreira, uma jovem bombeira a prestar voluntariado nos #Bombeiros de Fão, concelho de Esposende, percebeu que a família não conseguia ter dinheiro para ter uma "boa" cadeira de rodas. E como um azar nunca bem só, os pais de Mikael já sabem que outro filho, mais novo do que Mikael, também vai ficar sem andar.

"Não consegui ficar indiferente ao caso e pedi autorização nos bombeiros da minha corporação para recolher na festa do marisco de Fão donativos com latinhas espalhadas pelo recinto", conta Helena Ferreira, bombeira que recebeu o sim dos colegas da Associação Humanitária e que partiu à conquista da cadeira de rodas para Mikael.

No final da conhecida festa do marisco de Fão, vila situada na margem sul do Rio Cávado, juntou dinheiro para comprar metade da cadeira de rodas. "Foi bom, mas tinha ficado a meio do objetivo", disse. Sensível à questão e ao esforço da bombeira Helena, o comandante dos Bombeiros de Fão, Norberto Mota, decidiu, pessoalmente, ajudá-la. "Sacou" do próprio bolso o resto do dinheiro que faltava para comprar a cadeira de rodas. Com um contacto certo, Mikael viu então chegar a nova cadeira.

"Consegui uma boa cadeira nova por bom preço. No total custou 160 euros", afirma o comandante Norberto Mota, destacando os valores de pequenos gestos, como a da bombeira Helena, que podem fazer - e fazem - a diferença.

Mikael reagiu com sorriso e emoção ao ver a cadeira. Já sentado nela, não deixou de soltar um "uauu". "Esta é mais rápida e confortável", disse, pronto para uma nova etapa da vida. "Vou entrar na escola agora em setembro e com uma cadeira nova", afirmou "bem" feliz da vida e pronto para um novo desafio.

Os pais, de uma família com carências e que pediu privacidade, agradeceram. "Temos tido algumas dificuldades e são pessoas como estas que nos fazem acreditar que é possível dar a volta. Agradeço também aos Bombeiros de Fão que têm tido sensibilidade para os nossos problemas e nos têm ajudado com o transporte dos nossos filhos", disseram os pais. #Causas