Um homem de 45 anos, emigrante em França mas com residência em Barcelos, utilizou notas falsas para fazer pagamentos durante a grande festa do marisco de Fão. Segundo populares que testemunharam a situação tudo se passou de forma natural. O homem “pediu as fichas e no final fez o pagamento totalmente tranquilo”, continuando a sua visita à feira que nesta altura do ano tem milhares de visitantes provenientes dos mais diversos locais do Norte e de todo o país. O próximo alvo foi um “stand” de venda de mariscos onde mais uma vez efetuou o pagamento com uma nota falsa de 50 euros. No entanto, a calma e o à-vontade deste homem de nada valeram, já que a funcionária que o atendeu, apesar de ter naquele momento imensa gente no estabelecimento, apercebeu-se da fraca qualidade da nota recebida.

Apesar de confrontado com esta situação, este homem ainda tentou pagar por mais duas vezes com notas falsas, sendo sempre recusadas pela funcionária, tendo no final acabado por efetuar o pagamento com uma nota verdadeira. Contudo, este procedimento "de emergência" de nada lhe valeu, já que o alerta foi dado para a GNR de Esposende. Os militares que prontamente se deslocaram a Feira do Marisco de Fão estabeleceram um perímetro de busca, tendo em atenção as características físicas e de vestuário que lhe haviam sido fornecidas pelos responsáveis do estabelecimento.

Em poucos minutos o alegado criminoso foi visto, ainda no recinto da feira do marisco, tendo recebido ordem de detenção por parte dos militares dado. Ainda de acordo com alguns populares presentes no local, o homem foi detido sem oferecer qualquer resistência e mostrando um semblante sempre calmo.

Foram ainda encontradas na sua posse várias notas de 50 euros, todas elas falsas. Após a detenção, o homem foi presente à secção de Esposende do Tribunal da Comarca de Braga. Sendo um #Crime de falsificação a investigação deste caso passará para a alçada da Polícia Judiciaria de Braga, sendo naturalmente prematuro especular, neste momento, se este foi o primeiro "ataque" do homem ou se já existirão notas falsas postas por ele em circulação anteriormente.. #Justiça #Polícia