Um homem com cerca de 60 anos morreu afogado nesta quinta-feira à tarde (15 de outubro) no rio Cávado, no concelho de Barcelos. Segundo foi possível apurar, o homem estaria a fazer “piscinas”, ou seja, a atravessar o rio de um lado para o outro sem parar. Terá sido o cansaço, juntamente com a força do rio, que terão levado ao #Afogamento. Os #Bombeiros Voluntários de Barcelos recolheram o corpo já ao final desta tarde.

“Ele estava ali a nadar de um lado para o outro. Nós ainda gritamos a dizer que era perigoso. Mas não queria saber”, disse à Blasting News Manuel Ribeiro, que estava na zona a pescar. Segundo foi possível perceber no local, o homem despiu-se por completo e mergulhou no rio do lado de Areias de Vilar, freguesia de Barcelos, que fica na margem sul do rio Cávado.

A vítima atravessava rio sem parar

Do lado de Manhente, na margem norte, algumas pessoas observavam os dotes “atléticos” do nadador e alertavam para o perigo. “Nós até telefonamos para os bombeiros, pois percebemos que estava na iminência de perigo”, disse Ricardo Costa, que acompanhava um amigo na pesca.

Segundo as testemunhas, e passados uns 15 minutos de braçadas, o homem começou a ficar aflito no meio do rio. “Começou a gritar, mas desapareceu rapidamente”, contam várias pessoas no local. Já com os meios a caminho, nomeadamente os Bombeiros Voluntários de Barcelos, o homem deixou de ser visto.

Bombeiros mobilizaram equipa de mergulhadores

Após uma hora de buscas feitas pelos mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de Barcelos, o corpo da vítima foi detetado e retirado das águas. Apesar de não estar identificado, rapidamente se percebeu que se tratava de um utente da Casa de Saúde Mental do Instituto São João de Deus, que tem ali um edifício de internamento. “As roupas dele ficaram nos terrenos dessa instituição”, indicou fonte dos bombeiros.

O corpo foi levado para a morgue do Hospital de Barcelos e a Guarda Nacional Republicana do Destacamento Territorial sediado em Barcelinhos, Barcelos, tomou conta do caso. Vários casos de afogamento ocorreram esta ano nas águas do rio Cávado, alguns dos quais no concelho de Barcelos.