O final de tarde desta sexta-feira, 9 de Outubro, pôs em alvoroço a pacata localidade de São Paio de Merelim, no concelho de Braga. A brincadeira entre duas crianças com cerca de 10 anos de idade acabou em tragédia. Um dos rapazes terá disparado um revólver, atingindo o amigo na cabeça. A vítima ficou entre a vida e a morte no Hospital de São João, no Porto, para onde foi transferido após ter sido avaliado pelos médicos do hospital de Braga. O dono da arma, padrinho da vítima, foi detido e presente ao juiz que, já neste sábado, lhe decretou como medida de coação o Termo de Identidade e Residência.

Era para ser um dia normal de véspera de fim-de-semana para aqueles dois meninos, que depois das aulas foram para a residência dos tios de um deles. Embora as versões transmitidas pela Comunicação Social não sejam unânimes quanto ao local concreto do acidente, o certo é que os rapazes terão encontrado um revólver de calibre de guerra. O adereço ideal para uma diversão ao melhor estilo dos filmes policiais ou dos jogos de guerra de computador. No entanto, a arma estava carregada e quando Paulo Rodrigues a terá feito disparar, a bala atingiu Rúben Ralha na cabeça. Eram quase 17 horas.

O jornal Público cita fonte da GNR para referir que a arma se encontrava na garagem da casa e que o acidente ocorreu num dos quartos. Tudo terá acontecido no momento em que o padrinho da vítima, um ex-emigrante deficiente motor, a quem pertencerá o revólver, estava a conversar com o tio do outro rapaz no interior da moradia.

A mãe do Rúben foi alertada para a situação quando se encontrava no seu salão de cabeleireiro, tendo-se deslocado de imediato para a casa dos vizinhos em socorro do filho. O rapaz estava inconsciente nos braços da tia e madrinha. Paulo, o presumível autor do disparo, foi levado para a casa de uma vizinha, onde viria a receber acompanhamento por parte dos psicólogos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). Terá ficado em pânico com o sucedido e justificado que apenas estava a brincar com o inseparável amigo, como era habitual acontecer.

Rúben Ralha entrou nas urgências do Hospital de Braga em estado muito crítico. Foi avaliado pelas equipas médicas, designadamente da Neurocirurgia, e depois de estabilizado foi transportado numa ambulância especializada em cuidados intensivos pediátricos para o Hospital de São João, no Porto, com prognóstico reservado.

No local do acidente, militares da Guarda Nacional Republicana, inspectores da #Polícia Judiciária e investigadores da Polícia Científica procediam à recolham de vestígios para encontrarem as verdadeiras causas do sucedido.

Os casos de disparos acidentais de armas de fogo durante brincadeiras de crianças não são muito habituais em Portugal, mas a nível internacional já começam a ser uma constante nos noticiários, sobretudo pelos piores motivos.  #Crime