Ainda são desconhecidas as causas que terão levado à morte de um bebé de quatro meses de idade, na manhã desta terça-feira (10 de novembro) na cidade de Braga, e que deixou em estado choque a creche berçário de Santo Adrião, do Centro Cultural e Social de Santo Adrião, instituição sediada na zona da Quinta da Capela.

O bebé, e segundo revelou fonte no local, terá entrado em convulsões e começado a sangrar pela boca. Ao que foi possível apurar, seria o primeiro dia da criança naquele berçário situado na Rua Albino Rodrigues, junto ao Café Imperial.

Meios de socorro não conseguiram reverter a situação

De imediato foram acionados vários meios diferenciados de socorro. A viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) estacionada no Hospital de Braga, a mota de Emergência Médica do INEM e a Ambulância de Emergência Médica (AEM) de Gualtar do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) estiveram no socorro ao bebé do sexo masculino e que poderá ter sofrido um problema de saúde súbito.

A situação foi de tal forma crítica que, depois de várias tentativas de estabilização da vítima, todos os elementos humanos envolvidos no socorro seguiram na ambulância. O bebé foi transportado para o Hospital de Braga já em paragem cardio-respiratória (PCR).

Enquanto isso, cá fora a confusão e o choque eram grandes, principalmente quando no local compareceu a mãe da criança. A impotência face à situação levou a um luto antecipado.

Foi declarado óbito no Hospital de Braga

Já no Hospital de Braga, e depois de ter dado entrada direta para a sala de reanimação, veio a confirmação do pior. "O óbito foi declarado", confirmou fonte do Hospital de Braga.

Segue-se agora uma investigação ao que se terá passado, sendo que a autópsia será determinante para apurar o que terá ocorrido com a criança.

Família e creche em choque

A Blasting News tentou chegar à fala com os responsáveis do Centro Social e Cultural de Santo Adrião, mas sem sucesso, tendo imperado o silêncio e o estado de choque e luto face ao sucedido.

A família do bebé falecido está a receber apoio psicológico. #Casos Médicos #Bombeiros