Aconteceu na manhã deste sábado, dia 30 de Abril, na vila de Arco de Baúlhe, em Cabeceiras de Basto. Um acidente de trator vitimou um homem que, alegadamente, terá perdido uma perna e se encontra em estado grave no hospital. De acordo com as informações que conseguimos recolher, o homem estaria em cima da fresa do trator, quando terá caído, momento em que a sua perna terá sido apanhada, provocando a grave lesão. O homem acabou por ser transportado para o hospital, após vários minutos de tratamento ainda no local.

Foi pouco antes das onze horas da manhã deste sábado que a emergência foi acionada. Rapidamente, chegaram os Bombeiros Voluntários de Cabeceiras de Basto e ainda uma ambulância e o carro do INEM. O acesso ao local do acidente foi complicado, uma vez que o terreno agrícola fica a mais de cem metros da estrada mais próxima e o piso é bastante oscilante, uma vez que a terra é mesmo para o cultivo. Os bombeiros e assistência médica socorreram o homem no local do acidente e só alguns minutos depois é que o colocaram numa maca e transportaram para dentro da ambulância, onde terão estado mais de trinta minutos, em tratamento e estabilização da hemorragia. 

E já faltavam poucos minutos para o meio-dia, quando ambulância e carro do INEM seguiram em direção à auto-estrada (A7), onde terão seguido para o Hospital de Guimarães. No local, ficaram ainda a GNR e peritos, a tomarem conta da ocorrência, auxiliados pelos populares, que assistiram ao momento trágico. 

De acordo com algumas testemunhas, o homem, que teria por volta dos 50 anos, estaria a tentar exercer alguma pressão sobre a fresa, para que esta tivesse um melhor desenvolvimento na terra seca. Enquanto isso, um amigo e dono do trator conduzia a viatura. O acidente aconteceu quando a vítima se terá desequilibrado e a perna foi apanhada pela fresa. 

No local do acidente, estavam várias pessoas, entre amigos e familiares, numa designada "empreitada", em que todos ajudavam o homem num dia de trabalho no campo. A vítima vive na freguesia vizinha de Pedraça, mas que cultiva este terreno na vila fronteiriça de Arco de Baúlhe, há vários anos, contando com a ajuda e boa vontade dos amigos e vizinhos, uma prática ainda bastante comum nesta região de Basto. O homem é casado e pai de dois filhos, que chegariam ao local pouco tempo após o acidente, e costumava granjear este terreno nas horas fora do expediente normal do trabalho, aproveitando sobretudo os sábados.  #Tragédia