Um programa experimental da Audi está empenhado em criar um combustível sintético que não provoca danos na atmosfera, como acontece com outros #Combustíveis fósseis. Este novo combustível, que poderá ser um factor crucial para a proteção do clima e para o uso eficiente dos recursos, chama-se "E-diesel". É fabricado a partir de dióxido de carbono (CO2) extraído do ar e de energias renováveis.

A ideia de que o dióxido de carbono, gás emitido pelos escapes dos automóveis e que causa um grande impacto negativo na atmosfera, poderia ser também utilizado como fonte principal de energia é o pensamento revolucionário que está na origem do projeto de combustíveis ecologicamente sustentáveis desenvolvido pela Audi. O novo combustível não poluente provém deste mesmo princípio, ou seja, o dióxido de carbono que o "E-diesel" recolhe da atmosfera é semelhante àquele que emprega durante a sua utilização.

De momento, o maior obstáculo desta nova tecnologia desenvolvida pela Audi, fabricante automóvel do grupo Volkswagen, prende-se com a produção em massa deste "E-diesel". O laboratório onde as experiências foram realizadas, na cidade de Dresden, na Alemanha, irá produzir nos próximos meses cerca de 3 mil litros, mas a quantidade é insuficiente quando comparada com os gastos dos EUA, que consomem cerca de 622 mil milhões de litros de combustível por ano - os dados são descritos pela Wired, a revista britânica que noticiou o projeto.

O fabricante automóvel alemão Audi, em parceria com a empresa energética Sunfire, ainda estão numa fase inicial de testes mas que mostram potencial para desenvolver uma revolução nos combustíveis com este novo composto que difunde o uso do dióxido de carbono como matéria e não é prejudicial para o #Ambiente. Este novo produto já foi avaliado positivamente pelas entidades estatais da Alemanha, nomeadamente a Ministra da Educação e Tecnologia, mas somente foi testado misturado com combustível "normal" e não como combustível único nos motores dos automóveis.

Já desde 2009 que a Audi se foca no desenvolvimento de combustíveis neutros de dióxido de carbono (CO2), como na fábrica de e-gas, na Baixa Saxónia, que produz metano sintético.