Uma das questões que se tem vindo a levantar no mundo cientifico é o motivo pelo qual algumas pessoas têm mais tendência para ser mordidas por mosquitos do que outras. Afinal, o que aparentemente poderia ser um processo aleatório apresenta uma explicação científica que os investigadores de uma universidade londrina apontaram como sendo uma selecção do ADN. As conclusões indicam que a preferência dos mosquitos pode passar pelo código genético da pessoa em causa, demonstrando assim, a preferência do mosquito por determinados genes que se denotam, entre vários motivos, através do odor corporal.

Os investigadores concluíram que os mosquitos se deixam atrair por determinados cheiros, levando a que algumas pessoas tenham um cheiro mais apelativo para os mosquitos do que outras. Para esta investigação, foi solicitado a vários pares de gémeos que se deixassem morder por mosquitos, num total de 18 pares de gémeos idênticos (cujos genes são iguais) e 19 pares de gémeos fraternos (que não são geneticamente idênticos). O estudos consistia em que cada gémeo colocasse a mão numa espécie de caixa de plástica ligada por tubos, que permitiam aos mosquitos escolher quais os tubos que pretendiam seguir e dessa forma optar pela pessoa que iriam morder. Os investigadores concluíram que os gémeos idênticos atraíam um número semelhante de mosquitos entre si, enquanto que no caso dos gémeos fraternos a atractividade dos mosquitos era muito variável.

Ser atractivo ou repelente para os mosquitos é um factor que depende da escrita genética do indivíduo. Apesar destas descobertas, ainda falta aos cientistas saber quais são os genes que atraem e regulam todo o processo de selecção dos mosquitos. Porém esta descoberta veio abrir novos caminhos na criação de repelentes. Compreender as preferências dos mosquitos, pode ser um factor decisivo na criação de repelentes mais eficientes, evitando assim a transmissão de várias doenças que são passadas através da picada de mosquitos, como é o caso da febre amarela, do dengue, entre muitas outras. #Inovação