Na maioria das vezes, os criadores dos filmes negligenciam a verdade científica em prol do fator "espetáculo". Muitos dos mitos aqui apresentados são criados pela indústria de Hollywood. No entanto, um dos filmes mais cientificamente corretos é o clássico 2001: Odisseia no #Espaço de Kubrick.

1) Os seres humanos explodem no Espaço

A exposição ao Espaço é definitivamente mortal, mas não instantaneamente e não numa forma tão visceral. A causa mais provável de morte será asfixia devido à falta de oxigénio É possível a um ser humano sobreviver no Espaço sem danos permanentes durante cerca de meio minuto. Não será agradável, mas não é uma morte instantânea.

2) Vénus e Terra são idênticos

O planeta Vénus é muitas vezes referido como gémeo da Terra, mas isso não quer dizer que é exatamente como o nosso planeta. Devido à sua atmosfera bastante densa, foi apenas após ter sido enviado um veículo espacial a Vénus que se descobriu o quão mortífera é a sua superfície.

3) O Sol é uma bola de fogo

Na verdade, o Sol brilha, não arde. Pode parecer uma diferença insignificante, mas o calor gerado pelo Sol é o resultado de uma reação nuclear e não química.

4) O Sol é amarelo

Quando olhamos para o Sol ele é, aparentemente, amarelo. Mas essa "ilusão" deve-se à atmosfera terrestre. A coloração das estrelas muda conforme a sua temperatura. As estrelas mais frias são castanhas ou vermelho escuras e as mais quentes são azuis. O Sol, estando no meio deste espectro, tem uma distinta cor branca.

5) A Terra está mais próxima do Sol durante o verão

À primeira vista, parece lógico que o nosso planeta fique mais quente à medida que se aproxima da sua fonte de calor. Contudo, a causa não é a proximidade com o Sol, mas sim a inclinação do nosso eixo orbital, o eixo sobre o qual o nosso planeta gira, que é inclinado para um lado. Quando esse eixo aponta para o Sol é verão nesse hemisfério e vice-versa.

6) Existe um lado negro da Lua

A Lua está gravitacionalmente ligada à Terra, o que significa que o mesmo lado está sempre virado para nós e não para o Sol. Todos os lados da Lua recebem a luz solar em vários pontos.

7) Som no Espaço

Como no Espaço não existe atmosfera, não há por onde o som se propagar. Dependendo do tipo de atmosfera, o som será diferente do que o da Terra. Em Marte, por exemplo o som é mais agudo.

8) Não é possível viajar através de um cinto de asteróides

Uma dos principais erros nos filmes é a noção do tamanho. Na realidade o Espaço é grande, muito grande. Por exemplo, no cinto de asteróides localizado entre Marte e Júpiter, o maior objeto é Ceres, que tem cerca de 950 km de diâmetro. A distância entre dois objetos é de centenas de milhares de quilómetros. Até agora, foram enviadas 11 sondas através deste cinto sem que tivesse ocorrido qualquer incidente.

9) A Grande Muralha da China é o único artefacto humano que pode ser visto do Espaço

Tudo depende do que se quer dizer quando referimos "Espaço". Numa órbita perto da Terra a Grande Muralha pode ser vista, assim como muitas outras coisas fabricadas pelo ser humano. Mas, por exemplo, da Lua é difícil discernir os continentes, quanto mais a Muralha.

10) A NASA gasta quase um quarto do orçamento dos EUA

Sem dúvida que os EUA têm contribuído mais do que qualquer outra nação para a exploração espacial e, apesar das mesmas nunca terem sido nem de perto 25% do orçamento, as suas contribuições têm vindo a diminuir. Em 2015 a quota orçamental para a NASA é de cerca de 0.05%. O valor mais alto de contribuições foi durante os anos 60 a apenas atingiu os 4.4%. #Curiosidades