Numa região do nordeste da China foi descoberto um fóssil de um dinossauro alado com cerca de dois metros de comprimento, o maior alguma vez encontrado, pertencente à família dos velociraptors. Este espécime terá vivido há 125 milhões de anos naquela região chinesa e está tão bem preservado que os cientistas foram capazes de reconstruir uma impressionante plumagem que o dinossauro exibiu há milhões de anos, desde as pequenas plumas na cabeça e no pescoço, até às penas que brotam da cauda e das asas.

O novo espécime foi baptizado de Zhenyuanlong Suni, estima-se que pesava cerca de 20 quilos e terá passeado pelos chãos do Cretácio em tempos de prosperidade para os dinossauros, dividindo terreno com salamandras e texugos-gigante. O esqueleto do dinossauro alado foi encontrado em rochas sedimentares à volta de um lago, na província de Liaoning, no nordeste da China. Aquela zona, chamada de Yixian, já se tornou um tesouro de dinossauros preservados no tempo.

Steve Brussate, paleontólogo da Universidade de Edimburgo, explicou à Agence France-Presse (AFP) que "o fóssil está tão bem conservado que é possível ver penas em grande parte do esqueleto". O professor reforçou ainda que este "é o maior dinossauro com asas alguma vez encontrado", sendo "muito similar a um pássaro, mas é gigante, com braços muito curtos, e asas plenamente desenvolvidas". O espécime representa, no entanto, um enigma para os investigadores, pois apesar das asas impressionantes, o animal aparentemente seria incapaz de voar.

Brusatte adianta que as asas poderiam servir de atractivo colorido para estímulos sexuais, à semelhança dos pavões, que desfilam as penas da cauda para atrair as fêmeas. Outra possibilidade adiantada pelo mesmo paleontólogo é a de que o dinossauro usava as asas para proteger os ovos dos ataques dos predadores.

Esta descoberta levanta questões mais amplas sobre a forma como as asas evoluíram ao longo da história. Inicialmente pequenas, com penas macias, terão surgido para proteger do calor. Mais tarde, penas elaboradas, coloridas, perfeitas para demonstração. E finalmente asas longas e penas resistentes para os voos. Os detalhes da descoberta foram publicados na revista Scientific Reports. #Animais #Curiosidades