No Jardim Botânico de Mt Lofty, no sul da Austrália, floresceu uma flor particularmente curiosa denominada "flor-cadáver", com quase dois metros de altura, detentora de um perfume semelhante a cadáver e com forma fálica, revela o site Observador. Ao jardim botânico, na cidade de Adelaide, deslocaram-se muitos curiosos para ver a "flor-cadáver" com nome indonésio bunga bangkai e nome científico Amorphophallus titanum. Em todo o mundo nas últimas três décadas nasceram apenas 80 exemplares. 

Matt Coulter, responsável pelo Jardim Botânico de Mt Lofty, em comunicado à AAP, refere que mesmo existindo boas condições para o florescimento da planta, o seu cultivo é bastante complicado, justificando o facto de o brotar da flor ser tão raro. 

Para o responsável do jardim botânico, este acontecimento é indispensável para quem gosta de plantas e para os curiosos, uma vez que a flor e o seu perfume têm apenas uma duração de 48 horas.  

Devido à desflorestação dos bosques, a bunga bangkai, ou "flor-cadáver", está ameaçada na selva de Samatra, Indonésia, de onde é natural. É facilmente reconhecida pela cor amarela da sua "espinha" gigante e pelo cheiro característico de carne putrefacta que exerce atração sobre os insetos que vêm polonizar em cadáveres. 

A planta chegou à Europa no final do século XIX pelas mãos de um botânico de Itália e foi em 1889 que floresceu pela primeira vez em Londres, num jardim botânico. Milhares de curiosos deslocaram-se ao Jardim Botânico de Mt Lofty para ver florescer a invulgar flor.  

Planta rara nas ilhas do Corvo e das Flores 

"Não-me-esqueças" é o nome de uma das plantas mais raras do mundo, que está presente na Ilha do Corvo e das Flores, arquipélago dos Açores, segundo o site Naturlink. Em agosto de 2014 especialistas da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves e um investigador da Universidade Técnica de Munique voltaram a descobrir uma das plantas mais invulgares de Portugal e do mundo, denominada cientificamente de Myosotis azorica. 

A planta azul-marinho julgava-se estar perdida ou extinta devido a um movimento de terras que destruiu uma falésia. A última vez que tinha sido observada foi em 2001 na Ilha da Flores e em 2012 na Ilha do Corvo.   #Natureza #Insólito