Algumas pessoas submeteram-se de forma voluntária a um ensaio clínico realizado em França que levou seis pessoas a serem hospitalizadas em estado grave; uma delas encontra-se em morte cerebral. Marisol Touraine, Ministra da Saúde francesa, lamentou nesta sexta-feira, 15 de Janeiro, através de um comunicado o sucedido, afirmando que se trata de "um acidente grave". Em causa, de acordo com a agência AFP, está uma experiência que compreendia um produto analgésico à base de canábis

De acordo com o site do Expresso, a farmacêutica portuguesa Bial desenvolveu uma molécula que está na origem do sucedido, no entanto ainda não existem certezas absolutas, pois noutros voluntários que ingeriram o medicamento não se registaram problemas. 

A farmacêutica portuguesa Bial garante que foram seguidas "as melhores práticas médicas internacionais" neste ensaio clínico. A empresa refere ainda que está a acompanhar a situação no centro de investigação e no hospital.

A Ministra da Saúde francesa refere que as seis pessoas voluntárias cooperavam num teste clínico que consistia na ingestão de um medicamento por via oral que está a ser testado num laboratório privado na Europa, mais concretamente em Rennes, França. Marisol Touraine refere que devido ao incidente o teste foi interrompido e os voluntários foram contactados para realizar análises.   

A Ouest France refere que a participação voluntária das pessoas no teste clínico é da autoria de um laboratório privado. O Le Monde avança que oito pessoas estariam envolvidas no ensaio. 

O Ministério dos Assuntos Sociais e da Saúde francês foi informado sobre o incidente e num comunicado disse que seis voluntários estão internados no Centro Hospitalar de Rennes devido à ingestão do medicamento. 

Hoje, num comunicado, o ministério avança a informação de que o teste clínico foi efetuado num laboratório privado digno de crédito, com experiência em testes clínicos, tendo como finalidade analisar a segurança, a aptidão que os organismos têm para suportar determinados medicamentos, o modo de administração e as vantagens farmacológicas na utilização da molécula em pessoas sadias. 

Devido à calamidade da situação será aberta uma investigação para averiguar o sucedido, segundo o Ministério Público da capital francesa.  #Casos Médicos