Os canhotos são uma minoria no mundo. Estima-se que sejam cerca de 10% da população mundial (ou seja aproximadamente de 700 milhões de pessoas). Embora ainda exista preconceito em algumas zonas do mundo, a verdade é que nas últimas décadas, em muitos países, os esquerdinos começaram a ser vistos como pessoas "normais". É um facto que um canhoto passa por dificuldades em algumas atividades diárias, mas acredite que também tem muitas vantagens. Hoje, damos-lhes a conhecer alguns dos principais resultados de estudos sobre os esquerdinos. #Curiosidades #Vida Saudável

  • Já existiam canhotos na pré-história;
  • Existe 50 % de hipótese de um casal de canhotos ter um filho canhoto. Se apenas um dos pais for canhoto, a probabilidade é 17 %. Já a possibilidade de pais destros terem um filho canhoto é de apenas 10 %.
  • Têm tendência a serem mais introvertidos e inseguros;
  • Ser canhoto pode estar relacionado com o stress da mãe durante a fase da gravidez;
  • Podem ter maiores probabilidades de sofrer de distúrbio chamado "movimentos periódicos dos membros". Esse problema que faz com que as pessoas sejam muito agitadas durante o sono;
  • Têm um raciocínio mais rápido;
  • Conseguem assimilar diversas informações ao mesmo tempo; 
  • São melhores lutadores;
  • São geralmente melhores nadadores e jogadores de ténis e basebol;
  • Existem mais homens canhotos do que mulheres;
  • Têm um risco maior de se tornarem alcoólicos, ou disléxicos;
  • É mais provável um "génio" ser canhoto;
  • Têm mais imaginação;
  • São por norma mais nervosos que os destros;
  • Têm chances mais elevadas de sofrer da doença de Crohn e Colite;
  • Representam 40% das pessoas com problemas de esquizofrenia;
  • Sentem mais facilmente medo do que os destros;
  • São, em média, menos bem sucedidos financeiramente do que os destros;
  • Também existem outros mamíferos esquerdinos (segundo o psicólogo da Universidade de British Columbia, Stanley Coren);
  • Existem/existiram vários canhotos célebres, como por exemplo, Albert Einstein, Kurt Cobain, Charlie Chaplin, Barack Obama, Ayrton Senna ou Bill Gates. É também geralmente aceite, embora seja mais difícil de provar dada a distância cronológica, que o imperador francês Napoleão Bonaparte e o génio polímata e símbolo do Renascimento, Leonardo Da Vinci, eram igualmente esquerdinos.