A Coreia do Norte é um dos países mais fechados de mundo, controlado por um forte regime totalitário, mas que abriu uma janela nas suas fronteiras a favor da ciência. Uma expedição internacional estudou pela primeira vez o vulcão Paektu, um dos mais desconhecidos do mundo. Tratou-se de um enorme desafio geopolítico, uma vez que a Coreia do Norte está submetida a sanções internacionais que impedem esse tipo de colaboração científica.

Paektu é a montanha mais alta dos Montes Changbai, com 2744 metros de altitude. A última grande erupção ocorreu em 946, mas não há nenhum relato escrito deixado por testemunhas, por isso não sabemos quais foram as suas verdadeiras dimensões.  

Este primeiro projeto internacional de vulcanologia na história da República Popular da Coreia teve um orçamento modesto de 88.000 euros e visou sobretudo monitorizar os gases do vulcão, conhecer a geologia local e a estrutura interna do vulcão. Segundo os cientistas, este último ponto foi muito importante, pois permitiu conhecer a atividade que acontece a 10 km ou 20 km de profundidade.

Os primeiros resultados científicos deste projeto foram publicados na revista científica Science Advances. As conclusões indicam que existem áreas onde a crosta é muito fina e isso pode ter sido a fonte da instabilidade registada naquela região entre 2002 e 2005, que fez disparar os alarmes em Pyongyang.

Agora, a equipa quer expandir a cooperação com os cientistas coreanos, a fim de fortalecer ainda mais a rede de monitorização sísmica em torno do vulcão e, por sua vez, aumentar a capacidade de reação em caso de erupção. Nesse sentido, os cientistas ocidentais poderão ter acesso a seis estações sísmicas situadas na Coreia do Norte.

Confrontados com a pergunta sobre a futura erupção do Paektu, os cientistas não sabem quando é que isso pode vir acontecer, mas observam que, normalmente, as grandes erupções são menos frequentes que as pequenas. Mas, em caso de erupção, este vulcão poderia causar 100 vezes mais impacto que o vulcão islandês em 2010.  #Natureza #Política Internacional