Num mundo em que as mulheres ainda batalham pelo mesmo reconhecimento que os homens, e que os jovens andam perdidos no mundo do desemprego e das viabilidades vocacionais, é animador saber que é a uma mulher, e a uma jovem, a quem chamam o próximo #Einstein. Sabrina Gonzalez Pasterski tem 24 anos e é considerada um dos génios mais promissores do mundo.

Nasceu em Chicago, mas é filha de pais cubanos, e com apenas 9 anos começou a construir o seu próprio avião na garagem da sua casa. Com 14 dirigiu-se ao MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusets, para aprovarem esse aeroplano e para que e pudesse voar. Para além de o ter construído, ela também já o tinha testado, sobrevoando o lago de Michigan.

Publicidade
Publicidade

Sabrina não tem página no Facebook mas já tem uma página na Wikipédia, e frequenta assiduamente o site physicsgirl.com. No seu currículo pode ler-se que foi um exemplo de assiduidade na escola:no MIT obteve a média mais alta possível, e também já confessou, nas suas entrevistas, que nunca fumou ou bebeu durante a adolescência; o que a fez representante da geração Millennial.

A jovem física já teve até trabalhos citados por Stephen Hawking, que é considerado a mente viva mais brilhante desta área. De momento, ela está a investigar os buracos negros e a gravidade quântica em Harvard, uma das melhores faculdades do mundo, onde conclui o doutoramento com total liberdade académica – não tem de responder perante nenhum supervisor da Universidade - numa tese que parece alterar o modo como vemos o universo.

Publicidade

Mas, afinal, o que faz uma física? Ela estuda ‘a matéria’, sejam átomos ou estrelas, e como esta interage e se move pelo espaço e pelo tempo. E isto abrange os movimentos da água, os movimentos dos objetos no espaço, o nascimento e a morte das estrelas e planetas, até ao que acontece no centro das galáxias.

Algumas das mentes mais brilhantes da História dedicaram as suas vidas a entender como funcionava a eletricidade, a gravidade, o magnetismo, a energia atómica... Sem os ‘cérebros’ de Isaac Newton, Albert Einstein, Michael Faraday, ou Nikola Tesla, não teríamos a tecnologia que temos hoje. Embora sejam conhecidas cientistas na nossa história, como Hipátia, Marie Curie, Rosalind Franklin, Barbara McClintock, entre outras, a maioria são homens, o que é mais um motivo para Sabrina se salientar.

Além do interesse em aeronáutica, a jovem investiga ainda buracos negros e mecânica quântica. É assiduamente convidada para participar em vários eventos científicos e publica as suas apresentações na internet.

Publicidade

Sabrina ainda não acabou os estudos, mas parece que já tem grandes empresas à sua espera, como a Amazon e a NASA.

Se lhe perguntarem qual é o seu maior sonho, responde que gostaria de enviar para o espaço uma nave construída por ela e de levar a Humanidade a Marte.

São exemplos destes que motivam os nossos jovens a lutarem para chegarem mais longe e alcançarem os seus sonhos, mas também seria bom que as grandes empresas apostassem neles e se dispusessem a ser a ‘escada’ para essa subida. #Sabrina Pasterski #génio