Quem ia na estrada e dentro do autocarro não ganhou para o susto. Após a hora de almoço desta terça-feira, 3 de Março, um autocarro dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) ardeu a escassos metros da paragem que existe junto ao centro comercial Fórum Coimbra. As testemunhas no local relatam que o fumo e as chamas causaram um valente susto, mas não há vítimas a registar. O trânsito esteve parado cerca de meia hora e um dos parques de estacionamento do Fórum foi invadido pelo fumo.

As imagens a que tivemos acesso são de uma pessoa que na altura do incidente estava a conduzir e ia passar junto do local, mas ficou retida no trânsito cerca de meia hora. Os relatos revelam que ocorreu também, pelo menos, uma explosão. Na altura em que as imagens foram fotografadas ainda os bombeiros não tinham chegado ao local. Contudo, minutos depois acorreram ao incidente os Bombeiros Sapadores de Coimbra e dominaram as chamas. Ainda estão por apurar as causas, mas sabe-se que as labaredas deflagraram junto ao motor.

Não é a primeira vez que um autocarro desta companhia arde. Em setembro de 2014, um outro veículo dos SMTUC incendiou-se junto à Ponte Rainha Santa, em Coimbra. Do incidente também não houve vítimas a registar, mas em menos de um ano é o segundo autocarro que arde sem ter recuperação possível. Após o ocorrido há muita gente a colocar em causa, principalmente os utentes, a qualidade da manutenção efetuada aos veículos. Em declarações ao jornal da região, Diário As Beiras, fonte da comissão dos trabalhadores do SMTUC revelava em setembro do ano passado a suposta "falta de manutenção das viaturas nas oficinas".

De momento não é conhecida qualquer reação oficial da companhia dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra. O incidente originou uma onda de partilhas de fotos e vídeos nas redes sociais, uma vez que o fumo e as chamas foram visíveis durante algum tempo. Os passageiros do autocarro saíram ilesos do acidente e testemunhas no local falam que a evacuação do veículo decorreu dentro da normalidade.