Sobre a direcção artística da DEMO - Associação Cultural, os elementos do CITAC e do Curso de Iniciação Teatral 2014/2015 inspiraram-se nas vanguardas do início do Século XX para a comemoração dos 100 anos de Orpheu. A performance, que teve como principal motor de trabalho o site-specific, isto é, uma criação num local específico e adaptado, contou com a especial participação dos Reais Repúblicos da Prá-Kys-Tão.

O "Centenário de Orpheu" consiste num "laboratório teórico-prático dos movimentos artísticos portugueses" do século passado, que procura a relação entre o movimento, o corpo e a palavra. A vida e obra literária de Camilo Pessanha, assim como textos da Revista Literária "Orpheu", cujos escritores são Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Santa Rita Pintor ou Mário de Sá Carneiro, são o principal objecto de trabalho para a construção desta investigação artística.

A performance iniciou-se em frente à República Prá-kys-tão com o som de um tambor e os manifestos dos performers, que gritavam excertos de poemas nas várias janelas da casa. Divididos em 5 grupos, cada grupo com 12 pessoas, o público teve a oportunidade de experienciar uma viagem pelas várias divisões da República, onde cada sítio albergava uma cena adequada ao espaço de trabalho. José Júlio Marques, fotógrafo e seguidor do trabalho do CITAC, afirma que através deste espetáculo teve a oportunidade de "regressar ao passado e viver memórias" que nunca viveu mas que estavam "muito presentes em cada lugar da casa". Descreve ainda esta jornada como "psicadélica" devido a toda a estranheza provocada por certos momentos da peça.

A cena que marca o fim da performance situa-se na sala comum, onde os vários grupos divididos pela casa se juntam para uma cena final onde apelam em conjunto à frase "Mostrem que a geração portuguesa do Século XXI dispõe de toda a força criadora e construtiva". Este evento insere-se no projeto "INSCRIÇÃO", que cruza artes visuais, performativas e literatura e nas comemorações dos 725 anos da Universidade de Coimbra. #História