Dois jovens foram hoje resgatados sem vida do mar da Figueira da Foz por meios da Polícia Marítima, tendo o óbito sido declarado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Instituto Nacional de Emergência Médica. As vítimas são uma jovem de 24 anos e um amigo de 23, de nacionalidades chinesa e indiana, respectivamente, que se encontravam de férias naquela cidade do distrito de Coimbra. Ambos eram estudantes no Porto.

Segundo fonte da Capitania do Porto da Figueira da Foz, o acidente ocorreu na Praia do Relógio, no centro da cidade, onde os jovens estavam a jogar à bola no areal junto ao mar. No momento em que a bola foi à água, um dos jovens tentou recuperá-la mas teve dificuldades em regressar ao areal. O outro jovem terá ido ao seu socorro, acabando também por se afogar. O socorro foi efectuado pelos meios da Polícia Marítima com o auxílio dos Bombeiros Voluntários e da VMER do INEM. Apesar das manobras de reanimação realizadas os socorristas não conseguiram reverter o estado, tendo sido declarado o óbito. Os cadáveres foram removidos e transportados para o Gabinete de Medicina Legal da Figueira da Foz.

Localizada na zona central da cidade da Figueira da Foz, frente à Torre do Relógio que lhe dá nome, aquela praia é caracterizada por possuir o maior areal urbano de Portugal, tendo em conta a sua extensa área, atravessada por quatro passadiços em madeira. A Norte da Praia do Relógio situa-se um conjunto de palmeiras, designado por "Oásis", uma estrutura urbana construída junto a um pequeno ribeiro em pleno areal. A Sul da praia avista-se a barra do Rio Mondego, que desagua naquela mesma cidade da Figueira da Foz. Aquela Praia do Relógio é muito frequentada fora da época balnear, uma vez que ali se encontram instalados diversos espaços dedicados à prática desportiva na areia.

O acidente de hoje, dia 2 de abril, que vitimou aqueles dois jovens, levou a Capitania do Porto da Figueira da Foz a apelar às pessoas para que tenham uma maior preocupação quando junto à linha de água, uma vez que, apesar do bom tempo que se regista nesta época do ano, não existe vigilância nas praias, com uma agravante instabilidade no mar e de existir uma maior força das ondas. #Turismo