Os dez peregrinos colhidos pelo automóvel no IC2 dirigiam-se para Fátima pelo IC2. O despiste matou cinco pessoas com idades entre os 17 e os 53 anos. Quatro perderam a vida no local, enquanto a quinta vítima acabou por não resistir aos ferimentos a caminho do hospital, revela fonte dos bombeiros de Condeixa à agência Lusa. Os dez feridos pertenciam a um grupo de 80 peregrinos de Mortágua.

O automóvel despistou-se às quatro da manhã, sendo que "nove pessoas foram colhidas, quatro faleceram no local e uma morreu a caminho do hospital", declarou Fernando Gonçalves, comandante dos Bombeiros Voluntários de Condeixa. Os restantes cinco feridos foram transportados para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, de acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra.

O condutor do automóvel, segundo a SIC Notícias, já teve alta, tendo saído do hospital por volta das 11:00 horas da manhã. O condutor, com 24 anos, saiu acompanhado pela GNR, sendo que agora deverá ser constituído arguido. A medida de coação deve ser conhecida ainda hoje, dia 2 de Maio. O acidente ocorreu no IC2, quando a viatura se despistou e colheu os peregrinos na faixa contrária em que seguia.

Entre os cinco feridos, quatro estão internados nos Hospitais da Universidade de Coimbra e um no Hospital Pediátrico. A vítima internada no Hospital Pediátrico é um jovem de 16 anos, que "está clinicamente estável e vai permanecer em observação nas próximas horas", revelou uma fonte do hospital à RTP1. Ainda entre os feridos estão uma mulher de 23 anos, um homem de 64 anos e um de 71 anos, "clinicamente estáveis".

Os restantes 70 peregrinos do grupo dirigiram-se para o quartel dos Bombeiros Voluntários de Condeixa, de onde seguiram para Mortágua. Chegaram por volta das 10h30, acompanhados por psicólogos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Câmara Municipal. À espera dos 70 peregrinos estavam vários familiares e amigos. O presidente da autarquia de Mortágua e o padre já propuseram um funeral coletivo para as cinco vítimas mortais, aguardando agora pela decisão das famílias.

No local da tragédia estiveram 51 elementos e 22 viaturas do INEM, da GNR, dos Bombeiros Sapadores de Coimbra e dos Bombeiros Voluntários de Condeixa. #Religião #Acidente Rodoviário