Um despiste de um veículo ligeiro no Itinerário Complementar (IC) nº 2, entre Coimbra e Condeixa-a-Nova, colheu um grupo de peregrinos, provocando a morte de cinco deles e ferindo mais quatro. O acidente ocorreu na madrugada deste sábado, 2 de Maio, em Cernache, num local sinalizado como "ponto negro" em termos de sinistralidade rodoviária. O condutor do veículo, um homem com idade entre os 20 e os 30 anos, sofreu ferimentos ligeiros. Os restantes peregrinos que integravam o grupo de Mortágua tiveram de receber acompanhamento psicológico antes de regressar a casa em autocarro cedido pela Câmara Municipal local.

O acidente ocorreu por volta das quatro horas da madrugada no momento em que o grupo de cerca de 60 peregrinos, que integrava elementos de um agrupamento de escuteiros, percorria a sua caminhada de fé no IC2 (ex-EN1). Numa zona da estrada considerada como "ponto negro" pela empresa Estradas de Portugal, que, para salvaguardar a segurança dos milhares de peregrinos que por estes dias por ali circulam, suprimiu uma das faixas de rodagem.

No entanto, aquela medida não impediu que um automóvel ligeiro de passageiros tivesse entrado em despiste e embatido com violência contra o grupo de peregrinos. Quatro das vítimas terão tido morte imediata, entre as quais dois jovens de 17 e 18 anos. Uma quinta foi transportada com gravidade para os Hospitais da Universidade de Coimbra, onde acabou por falecer. No mesmo hospital, bem como no Hospital Pediátrico da mesma cidade, deram entrada mais quatro feridos, alguns dos quais com ferimentos considerados graves.

Os restantes elementos daquele grupo de peregrinos foram transportados para o quartel dos Bombeiros Voluntários de Condeixa-a-Nova, onde receberam acompanhamento psicológico enquanto aguardavam por um autocarro, cedido pela Câmara Municipal de Mortágua, para os levar de regresso a casa.

Também o presidente da Câmara Municipal de Mortágua deslocou-se a Condeixa-a-Nova para prestar apoio aos seus munícipes. Consternado com a tragédia, José Luís Norte disse aos jornalistas que era necessário estarem "agarrados num grande abraço" de conforto. #Acidente Rodoviário