A cidade de Coimbra vai estar ao rubro entre sexta-feira, dia 8, e o dia 15 de Maio com a maior festa académica que se realiza no país. A organização da Queima das Fitas 2015 espera que o evento ultrapasse a marca das 100 pessoas no recinto. Os momentos altos acontecerão à meia-noite de sexta-feira com a Serenata Monumental, junto à Sé Velha, e na tarde de domingo com o tradicional Cortejo de carros alegóricos. O epicentro da Queima das Fitas será a Praça da Canção por onde passarão, diariamente, alguns dos maiores nomes da #Música do momento.

André Gomes, secretário-geral da Queima das Fitas, aponta mesmo para o objectivo das 125 mil entradas no recinto do evento. Isto, se as condições meteorológicas assim o permitirem. Por outro lado, realça que o cartaz dos #Concertos deste ano "é mais heterogéneo em termos de estilos musicais" e "mais homogéneo em termos de qualidade por dia". Pelo palco da Praça da Canção irão passar nomes como Anselmo Ralph, The Kooks, James Arthur, Frankie Chavez, The Gift, para além de Miguel Araújo e a presença habitual do popular Quim Barreiros.

Do programa constam ainda as actuações de Sam The Kid e Dillaz, duas vozes do rap nacional, e a música electrónica do duo canadiano DVBBS e dos portugueses Fucking Bastards e Dynamic Duo. A banda de punk rock Tara Perdida, os The Kooks, os PAUS e os ingleses Brighton são outros dos nomes sonantes que marcarão presença na festa académica coimbrã. De entre outras actividades desportivas e recreativas, a Queima das Fitas 2015 prevê ainda um Baile de Gala e o Chá Dançante, tradicionais iniciativas que marcam a vertente mais formal e institucional do evento.

A Queima das Fitas de Coimbra é um dos festejos mais antigos do país protagonizados pelos estudantes do ensino superior, e que terá dado origem a outras festas académicas que se realizam no país. Consta que terá tido o seu início em 1899 com a realização do Centenário da Sebenta, que consistia numa apresentação pública em formato de cortejo, com fogo-de-artifício, sarau e touradas, com vista a homenagear os estudantes que concluíam os seus estudos superiores. Mais tarde, o Centenário da Sebenta viria a assumir um formato mais humorístico, ridicularizando alguns factos e personalidades da época. O que, aliás, caracteriza nos dias de hoje o Cortejo de carros alegóricos. Ao longo dos anos os festejos foram evoluindo na sua organização, mantendo no entanto a sua essência, sendo actualmente a Queima das Fitas o acto simbólico de assinalar o términus dos cursos superiores, em comunhão com toda a comunidade estudantil e população da cidade. #Entretenimento