No passado domingo, dia 26 de Julho, na Praia de Mira, um homem não conseguiu controlar a asa-delta depois de uma falha no motor e, na consequência do embate na areia, este morreu e outro ocupante ficou gravemente ferido. Várias testemunhas presentes no local confessaram à "RTP" que o experiente piloto de ultra-leves, antigo emigrante em França, fez de tudo para não atingir ninguém presente no areal, colocando assim em risco as suas hipóteses de sobrevivência. Apesar de não ser informação oficial, as testemunhas oculares afirmam que o que causou a morte ao homem de 48 anos foi um ferro que o terá perfurado. Quando a equipa do INEM chegou ao local o piloto já estava sem vida.

"Senti várias falhas no motor e ele fez de tudo para não acertar na malta. O impacto foi forte e o ferro bateu-lhe colocando-o logo sem sentidos. Ele era emigrante em França, costumava voar em asa-delta e por vezes até chegamos a voar juntos. Era um indivíduo bastante experiente, mas essa experiência nem sempre ajuda e neste caso não ajudou", confessou uma testemunha ocular, conhecido da vítima aos microfones da "RTP".

De facto, as únicas vítimas deste trágico acidente foram somente os ocupantes da asa-delta, fazendo com que o experiente piloto seja visto quase como um herói, visto que conseguiu evitar que o ultra-leve completamente descontrolado atingisse os civis presentes na Praia de Mira, pertencente ao distrito do Coimbra. O ocupante que sobreviveu à queda está neste momento em estado grave no Hospital Universitário de Coimbra e a gravidade das suas lesões ainda é desconhecida.

Segundo a reportagem da "RTP", o antigo emigrante português gostava de sobrevoar aquela praia, conhecendo-a bastante bem. Várias são as pessoas que falaram aos jornalistas e que confessaram terem voado com o experiente piloto, afirmando que este não teve culpas neste desfecho trágico. Mesmo para estes, a falha de motor na asa-delta foi perceptível, contudo as verdadeiras causas do acidente ainda estão a ser investigadas. "Não havia vento nenhum, ouvia-se só o motor a falhar e conseguia-se ver os esforços do piloto para não aterrar em cima das pessoas", confessou uma das muitas dezenas de testemunhas oculares à "RTP". #Emigração #Acidente de Aviação