Um barco de pesca naufragou ao início desta noite, à entrada da barra do porto de pesca da Figueira da Foz. Confirmados até ao momento estão um morto, quatro desaparecidos e dois tripulantes salvos. A população no local critica a demora na ajuda por parte das autoridades marítimas. Ainda não se sabem os motivos que conduziram ao #Naufrágio.

Perto das 19h15 desta terça-feira, 6 de Outubro, e quando se preparava para entrar na barra do porto de pesca da Figueira da Foz, um arrastão com mais de 20 metros naufragou, provocando para já a morte de um tripulante, havendo ainda quatro desaparecidos. Dois tripulantes foram salvos com a ajuda de uma lancha e de uma mota de água da Polícia Marítima, que ainda se mantêm no local. Os sobreviventes foram transportados para o Hospital da Figueira da Foz.

Para além destes meios, a Marinha Portuguesa entretanto já reforçou a sua presença no local, tendo sido activado um meio aéreo e o navio de patrulha oceânico "Figueira da Foz". Segundo o porta-voz da Marinha Paulo Vicente, em declarações à agência Lusa,"a embarcação está num sítio inacessível, e ninguém consegue alcançá-la devido as condições do mar".

O comandante explicou à Lusa, que  estava a "chegar um meio aéreo e o navio de patrulha oceânico 'Figueira da Foz". Disse ainda que vários meios, incluindo motas de água, tentaram alcançar o local onde a embarcação naufragou, mas sem sucesso devido à forte agitação marítima. Segundo o porta voz da Marinha, "foi recebido por satélite um sinal de emergência e depois o capitão do Porto confirmou que a embarcação se tinha virado".

Apesar disto, os muitos populares presentes no molhe sul não têm escondido a sua insatisfação perante o que consideram ter sido uma excessiva demora das autoridades para procederem ao salvamento, e a falta de uma operação de salvamento no mar.

Alguns surfistas no local, no "Cabedelinho", e que foram testemunhas no naufrágio, disseram que estariam cinco a seis pessoas numa balsa de salvamento e dois pescadores agarrados ao casco do arrastão que se virou a poucas dezenas de metros do molhe sul. #Tragédia