Não sabemos o que Luiz Pacheco diria se tivesse assistido à Leitura Encenada de ontem, dia 6 de outubro, em Coimbra, na primeira sessão do Clube de Leitura Teatral, que resulta de uma parceria entre o #Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) e A Escola da Noite. Podemos apenas imaginar que da voz rouca sairia uma palavra em português vernáculo, daquelas que a televisão obriga a substituir por um "pi". A escolha do autor "foi propositada", disse ao público presente Ricardo Correia, o encenador do TAGV convidado a construir a primeira sessão.

Num tempo em que as imagens se impõem com agressividade, as palavras ouvidas ganham profundidade. Foi refrescante ouvir a várias vozes (Português de Portugal, Português Brasileiro e Espanhol) um autor "banido" dos percursos habituais da #Literatura e que merece ser revisitado.

O público entrou no palco e sentou-se em colchões espalhados pelo espaço, passando pela experiência do toque de um pé ou de um ombro por parte dos actores. Como se a todos fosse permitido viver por momentos no colchão da vida do autor.

Na Folha de Sala já se tinha lido que o texto é "autobiográfico sobre a sua vida errante, sem destino, em afronta contra o aburguesamento dos seus (nossos) contemporâneos". Continuando a ler, sabe-se que o autor "escreve sobre  a sua tribo, a sua família que mal cabe num único colchão cheio de pulgas".

Muita gente de teatro  a assistir e a participar, mas também outra gente que gosta de frequentar as palavras ditas em espaços mais recolhidos e livres de tudo o que é acessório. Muitos jovens que não conheceram Luiz Pacheco em vida e que, despidos do preconceito do julgamento fácil da vida dos outros, olham a obra do autor pelo que ela é.

Segundo o site do TAGV, o Clube de Leitura Teatral junta o Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) e A Escola da Noite numa iniciativa coordenada por Ricardo Correia (TAGV) e por António Augusto Barros (Escola da Noite). De periodicidade mensal, pretende criar uma comunidade de leitores aberta a companhias ou associações e público em geral.

A próxima sessão de leitura encenada vai acontecer a 3 de novembro às 18h30 no Teatro da Cerca de São Bernardo. Pode inscrever-se através do e-mail que consta do site do TAGV.