Um homem de nacionalidade inglesa morreu na manhã desta segunda-feira, 31 de Outubro, vítima de #Afogamento. A trágica situação ocorreu por cerca das 8:30 horas na praia de Mira, distrito de Coimbra. A vítima foi retirada do mar por um grupo de pescadores que estavam no local, mas já estava em paragem cardio-respiratório. O socorro, prestado pelos #Bombeiros e pelos elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM), não conseguiu reverter a situação.

O alerta foi dado às 8:32 horas para o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC). Um cidadão inglês, que estava a passar um período de férias num hotel da praia de Mira, tinha cumprido uma rotina que fazia habitualmente, Aproveitando o bom tempo que se tem verificado na região, foi tomar um banho matinal nas águas do Atlântico.

Publicidade
Publicidade

Porém, desta vez as coisas não correram da melhor forma. O banhista terá sido apanhado por um agueiro e não conseguiu sair do mar.

Um grupo de pescadores que estavam a praticar a tradicional Arte Xávega ao avistar o homem em dificuldades conseguiu retirá-lo da água, mas a vítima já estaria em paragem cardio-respiratória. Ao local deslocaram-se de imediato os bombeiros voluntários de Mira que iniciaram as respectivas manobras de reanimação, auxiliados pouco depois pelos elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas sem êxito, tendo a vítima não resistido aos ferimentos.

A família do homem só se apercebeu do que se estava a passar cerca de uma hora e meia depois, perante o alarido dos meios de socorro. A mulher da vítima deslocou-se ao areal para observar o que se estava a acontecer quando se deparou com o marido já cadáver.

Publicidade

Segundo relatou aos jornalistas o capitão do Porto de Aveiro, Carlos Isabel, aquele cidadão, que “era um bom nadador”, tinha como hábito ir nadar de manhã. No entanto, terá sido vítima de um agueiro o que lhe impediu voltar ao areal pelos próprios meios. Entretanto, o capitão Carlos Miguel faz um alerta para que as pessoas tenham consciência da sua segurança quando vão a banhos, uma vez que apesar das boas condições climatéricas, as praias não têm vigilância pois estamos fora da época balnear.