Cerca de dois dias depois de terem sido dadas como desaparecidas, duas meninas de Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, foram encontradas mortas junto à linha ferroviária do Norte. Lígia Louro, de 13 anos, e Inês Rosa, de 14, teriam ido passar a tarde da passada quarta-feira à cidade de Coimbra, não tenho chegado a casa como tinham informado as mães. As autoridades foram alertadas para o #Desaparecimento das duas amigas, e na tarde desta sexta-feira, 9 de Dezembro, foram encontradas, sem vida, junto à linha ferroviária.

Segundo o Major da Guarda Nacional Republicana, Armando Videira, as duas adolescentes foram encontradas, sem vida, por uma patrulha de militares que estavam a participar nas diversas operações de buscas.

Publicidade
Publicidade

Os corpos de Lígia e Inês estavam na berma da linha ferroviária, numa vala, numa zona de difícil acesso, rodeada de vastos campos agrícolas. Aliás, terão sido as cores das roupas que as meninas vestiam que terão alertado os militares da GNR para os cadáveres. As amigas estavam a alguns metros uma da outra, contudo na mesma zona, nas proximidades do apeadeiro de Vila Nova de Anços, no concelho de Soure, próximo de Montemor-o-Velho.

Segundo o jornal Correio da Manhã, as jovens foram encontradas com fones nos ouvidos, o que poderá suspeitar que estariam a ouvir música através dos telemóveis, no momento em que terão sido colhidas por um comboio. Um #Acidente que não terá sido detectado pelo maquinista da composição. Daí que os inspectores e peritos da #Polícia Judiciária terão, à partida, descartado a hipótese de crime.

Publicidade

No entanto, segundo o Major Armando Vieira, as investigações não estão concluídas.

Lígia Louro e Inês Rosa terão aproveitado o facto de não terem aulas na quarta-feira à tarde para irem passear até à cidade de Coimbra. As duas meninas frequentavam a mesma escola, mas em turmas diferentes. As autoridades conseguiram apurar que as duas meninas chegaram a embarcar, em Coimbra, no comboio que chegaria a Montemor-o-Velho cerca das 20:30 horas. O último contacto que estabeleceram com a família, foi momentos antes, quando telefonaram à mãe de uma delas para as ir buscar à estação de comboio. Mas ali não chegaram e ficaram incontactáveis por telemóvel. O que levou os familiares a comunicarem o desaparecimento às autoridades, que entretanto iniciaram as respectivas investigações no sentido de encontrar o paradeiro das duas crianças.